quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Histórias em quadrinhos

"Ler é um hábito poderoso que nos faz conhecer mundos e ideias."

Hoje vim aqui para falar um pouco sobre as histórias em quadrinhos que, além de ser um divertido passatempo, é ótimo para incentivar a leitura, não só das crianças, mas também daqueles que não gostam de ler. Eu, por exemplo, comecei lendo quadrinhos da Turma da Mônica, desde então eu comecei a ler muitos livros.


O mundo dos quadrinho é muito amplo e variado, existem obras para todas as idades. Um exemplo são os quadrinhos de Mauricio de Sousa, além das já conhecidas histórias da Turma da Mônica, que muito agrada as crianças, ele criou a Turma da Mônica Jovem, trata-se de uma "evolução" da Turma da Mônica, agora adolescentes.

Outro exemplo é "O pequeno livro do rock", ele conta um pouco sobre a origem do rock, as bandas, os discos, e muito mais, tudo em quadrinhos. É um ótimo livro para aqueles que, assim como eu, ama o gênero, eu recomendo, é muito legal.

Claro que eu não poderia deixar de falar dos famosos quadrinhos de heróis da Marvel, onde a maioria dos quadrinhos viraram filmes, por exemplo, Homem de Ferro, Capitão America, Thor, etc. E só pra constar, eu amo!

Mas, não são apenas esses. Como eu disse o mundo dos quadrinhos é muito amplo, tem muitos outros bem famosos: O Menino Maluquinho do Ziraldo, Toda Mafalda do Quino (outro que recomendo), As Aventuras de Zé Caipora de Angelo Agostini (uma das primeiras histórias em quadrinhos do Brasil), As Histórias de Pato Donald produzidas por Carl Barks, O famoso Marinheiro Popeye de Elzie Segar, Luluzinha de Marjorie Henderson Buell, Denis, o Pimentinha de Hank Ketcham, entre muuuuitos outros.

Histórias em quadrinhos são muito legais, divertidas assim como qual quer outro livro de 500 paginas. Eu leio quadrinhos até hoje, e recomendo não só para aqueles que não tem o abito de ler, mas para aqueles que também amam ler.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

[Resenha] Os contos de Beedle, o Bardo

Autora: J.K Rowling
Editora: Rocco
Paginas: 107

Sinopse: Os contos de Beedle, o Bardo são cinco histórias de fadas diferentes entre si. Cada uma delas é dotada de um caráter mágico próprio e proporcionarão, ao seu turno, prazer, riso e a emoção de perigo mortal. Trouxas e bruxos vão apreciar os comentários de autoria do professor Alvo Dumbledore, nos quais ele reflete sobre a moral ilustrada pelos contos e dá breves notícias sobre a vida em Hogwarts.







Mais uma das incríveis histórias de J.K. Rowling. Os contos de Beedle, o Bardo, é um livro fictício do sétimo livro da saga Harry Potter (também incrível *-*) que foi trago para a realidade.

O livro apresenta cinco contos diferentes, "Traduzidos das runas originais por Hermione Granger" , são eles: O Bruxo e o Caldeirão Saltitante; A Fonte da Sorte; O Coração Peludo do Mago; Babbity, a Coelha, e seu Toco Gargalhante e O Conto dos Três Irmãos.

Contos incríveis, cada um traz uma moral diferente, e no final de cada conto tem comentários do professor Dumbledore, o que deixa o livro ainda mais interessante. Fora as notinhas de rodapé que esclarece alguns termos e histórias.

É um livro pequeno, e apesar de eu ter levado 2 semanas para terminar, a leitura é fácil e rápida, vale muito apena reservar um tempinho para poder ler.

Tenho certeza que a maioria dos fãs de Harry Potter, assim como eu, tem como conto preferido, O Conto dos Três Irmãos, que conta a histórias de três irmãos que deveriam ter morrido, mas foram inteligentes para conseguir driblar a Morte, e como presente a Morte concede a eles três desejos. Simplesmente não enjoo de ler várias vezes.

Como eu disse, vale a pena, então nada mais justo que o livro receber a nota máxima.

Nota: 10

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

[Resenha] Água para elefantes

 "A vida é o maior espetáculo da terra''

Autora: Sara Gruen 
Editora: Arqueiro
Páginas: 271

Sinopse: Aos 23 anos, Jacob era um estudante de veterinária. Mas sua sorte muda quando seus pais morrem num acidente de carro. Órfão, sem dinheiro e sem ter para onde ir, ele deixa a faculdade antes de prestar os exames finais e acaba pulando em um trem em movimento - o Esquadrão Voador do circo Irmãos Benzini, o Maior Espetáculo da Terra.
Admitido para cuidar dos animais, Jacob sofrerá nas mãos do Tio Al, o empresário tirano do circo, e de August, o ora encantador, ora intratável chefe do setor dos animais.
É também sob as lonas dos Irmãos Benzini que Jacob vai se apaixonar duas vezes: primeiro por Marlena, a bela estrela do número dos cavalos e esposa de August, e depois por Rosie, a elefanta aparentemente estúpida que deveria ser a salvação do circo.

 
Jacob é um universitário que vê sua vida desabar após o acidente que mata seus pais. O banco toma toda a sua herança por conta da hipoteca e ele se vê sem dinheiro e sem destino. Sem opção ele pula no trem que transporta o Circo Irmãos Benzini. Lá é admitido como veterinário e vive as mais diversas situações. Com o tempo de torna amigo de Walter, um palhaço, com quem divide um quarto do trem e de August, o diretor equestre. Aos poucos ele conhece bem o gênero de August e descobre que ele não é quem aparenta.       Jacob acaba se apaixonando por Marlena, artista e esposa de August, que corresponde esse amor. O outro amor da vida dele é a elefanta Rosie, que aparentemente não sabe fazer nada, mas só aparentemente. 
   No circo Jacob descobre um outro universo e todo tipo de amor.

  

 A narrativa é do próprio Jacob, que agora vive em uma casa de repouso, com lapsos de passado e presente. Apesar de ter lido MUITAS resenhas positivas, não foi uma história que me impressionou e nem prendeu, como aquelas que a gente fica louco pra acabar. É uma história linda, mas não me surpreendeu. Mesmo assim, indico a leitura. 







"Quandos duas pessoas nascem pra ficar juntas, elas ficarão juntas. É o destino"



sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Entrevista

   Oi galera! Então, essa semana vamos fazer um pouquinho diferente com a coluna ''Entrevistas''. Vai ser tipo uma dobradinha kk já entrevistamos a Gabriela essa semana, mas o blog Recordando Palavras é administrado por ela e uma amiga, a Mayara. Então achamos justo entrevistar as duas!! E as respostas da Mayara você confere agora.


1-Como surgiu seu blog?
Como a Gabriela disse na entrevista dela, o blog surgiu, em 2011, de uma vontade minha em unir duas coisas que eu gostava muito: ler e internet. Além disso, eu sempre fui de criar várias páginas, nunca tinha o que falar, então... Surgiu a ideia e tem dado certo.

2-Quando começou sua paixão por livros? 
Começou numa viagem que eu fiz para o Rio de Janeiro. Eu estava em casa e aí tanto eu quanto meu pai decidimos sair. Passamos por uma livraria e lá tinha um livro que uma amiga minha recomendou, da Meg Cabot. Fiquei encantada com o livro e nunca mais parei de ler (ainda bem!). Vale lembrar que quando pequena, estava sempre lendo um livrinho do tipo Capitão Cueca ou Querido diário, Otário... Sem saber que eu acabaria entrando de cabeça no mundo da leitura =)

3-Qual o seu tipo de livro preferido?
Geralmente, não observo se gosto de romance, terror ou coisas do tipo. Gosto de ler os livros que recomendam e os que estão pipocando, como é o caso dos livros do John Green. Gosto de estar por dentro do assunto e tirar minha opinião das coisas que todo mundo comenta. Posso dizer que atualmente, tenho lido muita distopia, romance, aventura e coisas sobrenaturais. Mas, não sei se tenho ao certo um favorito, sabe?

4-Qual foi o melhor livro que você já leu?
O melhor livro que eu já li? Hm, difícil dizer. Porém, do nada, minha paixão pelo livro Gone - O mundo termina aqui voltou com tudo. Também estou gostando muito dos livros da Veronica Roth e do George R. R. Martin. 

5-Tem um “ritual” para começar a ler um novo livro? 
Assim como a Gabs, eu olho a capa, vez ou outra vejo a sinopse e saio procurando pelos sites informações sobre o livro. Aí, certas vezes, dá aquela preguiça de ler a introdução (sempre demorado, meio enrolativo), então leio um capítulo e ando um pouco pela casa. 

6-Tem um escritor preferido?
Antigamente, eu amava Nicholas Sparks. Agora, acho que fico com a Veronica Roth. Não sei, tem algo na escrita dela que eu simplesmente amo. Outro que sempre me encanta é o Rick Riordan. 

7-Já se arrependeu de ler algum livro?
Já sim, arrependi-me de ter lido Pegasus, da Kate. Eu o comprei pela capa maravilhosa e aí... A história não me agradou nem um pouco, foi meio decepcionante.

8-Qual sua série favorita? 
Ahhhhh, eu sou apaixonada por Percy Jackson e quero que Gone (do Michael Grant) também seja uma das minhas séries favoritas! 

9-Indique um blog
Indico o É tudo que eu sei. Adoro os textos de lá e a aparência do blog é muito linda. 

10-Indique um livro
Jogo da Velha, da autora Malorie Blackman. Agora eu não tenho certeza, mas é uma trilogia, com uma história bem interessante, lembrando Romeu e Julieta, só que com mais intrigas e um final chocante. 
 
 
   Não se esqueçam: a Mayara também é do Recordando Palavras. Visitem o blog, é lindo e todos os posts são maravilhosos! 
    Se quiserem conferir as outras entrevistas é só clicar aqui  
 
   Aah, aparência nova no blog, o que acharam? 
 

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

[Resenha] Destrua este diário

Autora: Keri Smith
Editora: Intrínseca
Paginas: Não faço ideia!

Sinopse: ‘Wreck This Journal’ é um livro ilustrado que contém uma perturbadora coleção de tarefas que pedem aos leitores que juntem suas melhores habilidades em erros e bagunças para completar as páginas do livro (ou destruí-las). Através de uma série de criativas e ilustradas tarefas, Keri Smith quer encorajar seus leitores em atos “destrutivos” – deixando buracos em páginas, adicionando fotos e estragando-as, manchando páginas com café, pintando fora das linhas e mais – com o objetivo de experimentar o verdadeiro processo criativo. Através da sensibilidade de Keri, leitores são introduzidos a uma nova maneira de fazer arte, descobrindo maneiras de escapar do medo de páginas em branco e entrando completamente no processo criativo.



Hoje vou falar do livro "Destrua este diário" de Keri Smith. Fiquei muito curiosa quando ouvi falar do livro, então não consegui me conter, e comprei. Coloquei que não faço ideia de quantas paginas tem, e é verdade. O mesmo não vem com as paginas numeradas, pois é você que tem que numerá-las.

"Destrua este diário", é um livro interativo, onde estimula seus leitores a destruí-lo das formas mais inusitadas, engraçadas, nojentas e nada a ver que você possa imaginar. Todas as paginas tem uma atividade diferente para destruir o livro, desde rabiscos e cortes, a manchas com comida e insetos. É um livro muito interessante, e engraçado, cabe a cada leitor interpretar o que está pedindo, você pode literalmente acabar com seu diário ou simplesmente usar a criatividade para não destruí-lo completamente.

Quando meu livro chegou eu fiquei muito entusiasmada para "acabar" com ele, mas quando passei a mão na capa pela primeira vez, fiquei com dó de destruir. A capa é impressionante, é áspera como papelão, onde está escrito "Destrua este diário" parece ser mesmo um papel de caderno, enquanto a fita adesiva em volta desse "papel de caderno" parece ser mesmo real. 

Super recomendo esse livro, não é um livro caro e é muito divertido.

Nota: 10  

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Entrevista

Oi gente! Entrevista nova pra vocês, vamos conferir?





A entrevista número 3 é com a blogueira Gabriela, do Recordando Palavras, e as perguntas são as mesmas (já virou até um padrão kk). 


1-Como surgiu seu blog?
O blog na verdade foi criação da Mayara, ela sempre gostou de internet e de ler e resolveu juntar os dois em 2011. Ano passado que eu finalmente me juntei a ela.
 
2-Quando começou sua paixão por livros? 
Eu, como muita gente, comecei com Harry Potter e a Pedra Filosofal. Foi o primeiro livro que realmente peguei para ler e fiquei apaixonada. Eu era criança ainda, foi na época que começou a febre dessa saga mesmo, com o primeiro filme e tudo o mais. Daí pra frente não parei mais! rs.
 
3-Qual o seu tipo de livro preferido?
Olha, atualmente eu ando preferindo livros de distopia e YA. Não gosto de nada muito romântico meloso, mas uma boa distopia com um toque de romance ao fundo tem sido minha pedida ultimamente. (algo como Jogos Vorazes, Divergente e etc).
 
4-Qual foi o melhor livro que você já leu?
 Essa pergunta é cruel. Não tem como eu escolher um livro só! rs. Mas digamos que aquele meu preferido que não ouso emprestar nem mesmo para minha mãe é a trilogia Senhor dos Anéis. Tenho um carinho muito grande por essa obra, apesar de AMAR também Crônicas de Gelo e Fogo, Divergente (minha nova paixão, inclusive) e vários outros.

5-Tem um “ritual” para começar a ler um novo livro? 
 Eu nunca parei para pensar nisso. Mas hm... eu diria que olho muito a sinopse do livro, o título, a capa (sim, eu acabo julgando muito pela capa também), ah e também levo muito em conta a opinião dos amigos quando vou começar a ler algo novo. Mas acho que não tenho nenhum "ritual" especial, nada demais mesmo.
 
6-Tem um escritor preferido?
J. R. R. Tolkien. Ah o homem era um gênio! E ultimamente ando gostando muito do John Green também, já li quase todos os livros dele e amei seu jeito simples e envolvente de conduzir suas histórias.
 
7-Já se arrependeu de ler algum livro?
 Nossa, já me arrependi. Não vou falar "Cinquenta Tons de Cinza" porque desisti da leitura no meio, não aguentei, mas não me arrependi de pelo menos ter tentado, eu queria saber se era assim tão ruim quanto todos falavam rs. Mas o que me arrependi foi "Fallen". Desculpa aos fãs, mas eu realmente não gostei de jeito nenhum, acho que talvez por estar com expectativa muito alta devido a todos os comentários e tudo o mais. Me decepcionou, eu fiquei tipo "só isso? é disso que todo mundo fala super bem?". Não gostei e queria deletar da minha mente rs.
 
8-Qual sua série favorita? 
Série de livros, você diz não é? Nossa, me perdoe Crônicas de Gelo e Fogo, mas eu tenho um caso muito sério com a saga da Cassandra Clare, Instrumentos Mortais! Reclamo de algumas coisas, mas nunca consigo largar esse meu amor por Instrumentos Mortais, é mais forte que eu.
 
9-Indique um blog
 Minha indicação de blog vai pra um que está crescendo ainda, é novinho, mas vale a pena conferir. É o Palavras sem fôlego
 
10-Indique um livro
 Minha indicação de livro vai para "A Hospedeira". Muitas pessoas criticam, talvez por preconceito com a autora (que é a mesma de "Crepúsculo"), eu também tinha um pouco de aversão ao livro antes de ler, mas não deixem que isso os impeça. A história é muito boa, a protagonista é simplesmente apaixonante, e o enredo é algo bem interessante. Achei criativo, ainda mais vindo de uma autora que eu não gostava.
 
Bom, essa foi nossa terceira entrevista. Não deixem de visitar o blog que a Gabriela faz parte. Se quiserem conferir as duas primeiras entrevistas, é só clicar aqui.  

Até a próxima!

domingo, 19 de janeiro de 2014

[Resenha] Estilhaça-me

Autora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Paginas: 304

Sinopse: Juliette não toca alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro.


“Estilhaça-me” traz como personagem principal, Juliette. Ela tem 17 anos e está aprisionada em um local onde não vê ninguém, e nem toca em ninguém há 264 dias, tudo isso por ser considerada louca, perigosa, um monstro. Seu toque é letal.

"Convicções, prioridades, preferências, preconceitos e ideologia dividiram-nos, iludiram-nos. Destruíram-nos."

O mundo já não é o mesmo, o ar está em péssimas condições há guerras entre as pessoas que sobreviveram para conseguir o alimento e a água que ainda restam. Tudo isso é culpa da humanidade, é culpa da “falta de consciência” dos mesmos.

“O Restabelecimento” surge com a promessa de “consertar” o que ainda resta desse mundo. Warner, um maníaco, comandante do Restabelecimento, é obcecado por Juliette, e pretende usá-la como arma para conquistar poder. O que resta a ela é tentar se salvar, e Adam que é um dos soldados de Warner, e um “amigo” de infância de Juliette irá protegê-la.

Antes de ler o livro, eu li muitas resenhas, e percebi que a maioria apesar de fazer boas criticas ao livro, não gostaram da maneira como a autora repetiu as palavras. Mas, eu achei extremamente necessário, pois faz com que possamos entender ainda mais o mundo de Juliette, suas angustias, seus medos.

Eu me apaixonei pelo livro, me apaixonei por Juliette e Adam, e gostei muito do livro ser narrado pela própria Juliette, gosto de livros assim. Eu simplesmente devorei o livro, e não queria que terminasse.

O final não me surpreendeu, mas não quer dizer que eu não gostei, só esperava que tivesse um “algo a mais”. Esperei que o fato do “toque letal” dela fosse mais explorado também. Apesar disso, quero muito ler o próximo livro.

O livro tende a agradar uns e outros não, mas eu recomendo.
          
Como em “Morte Súbita” vou dar também uma nota pessoal de 0 a 10.

Por causa de alguns fatos já mencionados a cima, o livro perdeu alguns pontos, então minha nota é 8,5.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

[Resenha] A linguagem das flores

Autora: Vanessa Diffenbaugh
Editora: Arqueiro
Páginas: 282

Sinopse: Victoria Jones sempre foi uma menina arredia, temperamental e carrancuda. Por causa de sua personalidade difícil, passou a vida sendo jogada de um abrigo para outro, de uma família para outra, até ser considerada inapta para adoção. Ainda criança, se apaixonou pelas flores e por suas mensagens secretas. Quem lhe ensinou tudo sobre o assunto foi Elizabeth, uma de suas mães adotivas, a única que a menina amou e com quem quis ficar... até pôr tudo a perder. Agora, aos 18 anos e emancipada, ela não tem para onde ir nem com quem contar. Sozinha, passa as noites numa praça pública, onde cultiva um pequeno jardim particular. Quando uma florista local lhe dá um emprego e descobre seu talento, a vida de Victoria parece prestes a entrar nos eixos. Mas então ela conhece um misterioso vendedor do mercado de flores e esse encontro a obriga a enfrentar os fantasmas que a assombram. Em seu livro de estreia, Vanessa Diffenbaugh cria uma heroína intensa e inesquecível. Misturando passado e presente num intricado quebra-cabeça, A linguagem das flores é essencialmente uma história de amor – entre mãe e filha, entre homem e mulher e, sobretudo, de amor-próprio.  

    A linguagem das flores é o primeiro livro da Vanessa e posso dizer, com toda certeza, que ela começou muito bem. É um livro envolvente, que prende o leitor em cada página. Victoria tem uma personalidade forte e foi capaz de me fazer odiá-la e ama-la ao mesmo tempo. Muitas das suas decisões me irritaram, mas logo depois eu pude entender o porquê de todas elas. Ele é narrado em primeira pessoa pela Victoria e é dividido em quatro partes (em cada uma se desenrola uma parte da história dela), e os capitulos alternam em passado e presente. 
   Minha personagem preferida é a Elizabeth -a mãe adotiva da Victoria- pelas suas características amáveis e sua forma de sempre saber perdoar e começar de novo. 
   Depois de completar 18 anos Victoria consegue arrumar uma maneira de se sustentar e acaba reencontrando seu passado. Ao longo do tempo ela faz amigos verdadeiros e as flores viram seu refúgio. No final do livro se encontra o dicionário de flores, com o significado de cada uma. 
    Mais um livro que eu amei e recomendo totalmente a leitura. 
    Ah, muito amor pela capa!


terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Entrevista

E ai, galera? Hoje viemos mostrar para vocês mais uma entrevista, a segunda. E dessa vez o nosso entrevistado foi o Caique do Entre Páginas de Livros. Ele respondeu às mesmas dez perguntas que a nossa primeira entrevistada. Vamos conferir? 


1-Como surgiu seu blog?
O Entre Páginas de Livros surgiu em setembro de 2011 quando decidi escrever sobre os livros que li e gostei já que meus amigos não gostavam de ler e nem de falar sobre esse assunto. Com o tempo o blog foi crescendo e comecei a falar de novidades, eventos e outras coisas ligadas a literatura em geral e até mesmo fiz as pessoas a minha volta ler alguma coisa.

2-Quando começou sua paixão por livros?
Sempre gostei de ler, mas tinha preguiça de pegar um livro e ler ele todo. Minha paixão mesmo pela leitura surgiu em 2010, nas férias do colégio, quando a minha mãe me sugeriu a ler o livro O Futuro da Humanidade do autor Augusto Cury, que foi o livro que fez uma grande diferença em minha vida. Desde então comecei a ler outros livros, poucos, cerca de 8 naquele ano. Mas logo depois criei o blog e não consigo ficar sem ler algum livro por muito tempo.

3-Qual o seu tipo de livro preferido?
Gosto muito de livros simples que contam histórias com personagens, cenários e histórias que podem ser verídicas e que nos deixa uma mensagem no final. Porém, curto muito também livros de suspense, policial, YA e distopias.

4-Qual foi o melhor livro que você já leu?
Sem dúvidas Eu sou o mensageiro do autor Markus Zusak, ele pode ser um livro simples, mas li em um momento que o tornou especial e inesquecível para mim, nunca esquecerei da história de Ed Kennedy.

5-Tem um “ritual” para começar a ler um novo livro?
Sim, vou em minha estante, olho todos os livros e seleciono os que mais quero ler.  Depois, entro no Skoob olho a avaliação, resenhas e opiniões de outros leitores.

6-Tem um escritor preferido?
Desde 2011 meu escritor favorito é Harlan Coben, li e tenho todos os livros dele publicados no Brasil pela Arqueiro. Gosto da maneira que ele escreve e que me prende logo nas primeiras páginas da história que sempre é bem planejada e com muitas reviravoltas.  É de perder o fôlego, haha..

7-Já se arrependeu de ler algum livro?
Até o momento não, todos que eu li de alguma forma tiveram seus pontos positivos.

8-Qual sua série favorita?
A série do Harlan Coben que conta as histórias de Myron Bolitar.

9-Indique um blog
No momento tenho acessado muitos blogs bons, se pudesse indicaria muitos aqui mas vou indicar o Sonhos em Tinta da Brenda, que é um blog que acompanho desde quando foi criado, quase junto do meu.

10-Indique um livro
Indicaria Eu sou o mensageiro do Markus Zusak que é muito bom como eu disse em uma pergunta acima.



   E ai, gostaram das respostas do Caique? Quem tiver curiosidade em saber algo a mais sobre ele é só acessar o blog dele. 

  Não deixem de ler, também, a entrevista anterior com a Ana Clara, do Roendo Livros. 

  Em breve mais uma entrevista fresquinha pra vocês, até a próxima!