segunda-feira, 28 de abril de 2014

Entrevista

Olá pessoal! Entrevista #7 no ar, finalmente conseguimos postar com um intervalo de tempo bom, vamos tentar continuar assim. O entrevistado é o André Lucas, do blog Aquele Livro. Confira:


1- Como surgiu seu blog?
Comecei a encontrar diversos blogs literários na internet, acompanhando canais no youtube sobre o assunto, enfim, fui gostando cada dia mais, e bate uma vontade de escrever, decidi criar mais um blog. Sempre tive alguns blogs no decorrer da minha vida, mas até agora, creio eu, que esse seja o blog do qual irá "para frente".

2- Quando começou sua paixão por livros?
Minha paixão por livros começou quando eu fui em uma livraria comprar um presente para o meu amigo secreto de final de ano. Acabei comprando um best-seller, e um dia qualquer comecei a folhear o livro e decidi lê-lo. Achei a história do livro muito envolvente, despertou uma vontade enorme para ler. Desde então me apaixonei por livros.

3- Qual o seu tipo de livro preferido?
Eu amo de paixão livros de ficção científica, distopias, YA, entre outros.

4- Qual foi o melhor livro que você já leu?
A Revolução dos Bichos - George Orwell

5- Tem um "ritual" para começar a ler um novo livro?
Eu costumo ler quando não tem ninguém casa, quando a vizinhança está calma haha, ou de madrugada. Qualquer barulho me incomoda, até mesmo o tic-tac do relógio, sério mesmo.

6- Tem um escritor preferido?
 Acho que a Cassandra Clare, e JK Rowling.

7- Já se arrependeu de ler algum livro?
Não, até agora não.

8- Qual sua série favorita?
Os Instrumentos Mortais.

9- Indique um blog.

10- Indique um livro.
Sob a Redoma - Stephen King.

Gostaram? Então, não deixe de conferir o blog do André, o designer do blog é incrível, e o conteúdo igualmente incrível, siga o blog, é muito bom. Quem quiser ler a ultima entrevista é só clicar aqui. Até a próxima...


sábado, 26 de abril de 2014

[Resenha] A escolha

Autor: Nicholas Sparks
Editora: Novo Conceito
Páginas: 303
Sinopse: Travis Parker possui tudo o que um homem poderia ter: a profissão que desejava, amigos leais, e uma linda casa beira-mar na pequena cidade de Beaufort, Carolina do Norte. Com uma vida boa, seus relacionamentos amorosos são apenas passageiros e para ele, isso é o suficiente. Até o dia em que sua nova vizinha, Gabby, aparece na porta. Apesar de suas tentativas de ser gentil, a ruiva atraente parece ter raiva dele. Ainda sim, Travis não consegue evitar se engraçar com Gabby e seus esforços persistentes o levam a uma jornada que ninguém poderia prever. Abrangendo os anos agitados do primeiro amor, casamento e família, A Escolha nos faz confrontar a questão mais cruel de todas: Até onde você iria manter o amor de sua vida?

  A Escolha é mais um romance meloso do Sparks (e eu amo) que nos faz refletir sobre os verdadeiros valores da vida e, o quanto devemos valorizar quem temos ao nosso lado. 
   O livro conta a história de Travis, um veterinário que cresceu em Beaufort, e Gabby, uma assistente médica e que namora Kevin, um cara que ama Gabby mas não faz o mínimo esforço para manter seu relacionamento. O primeiro encontro de Travis e Gabby se dá quando ela descobre que sua cadela, Molly, está grávida e pensa que o responsável é Moby, o cachorro de Travis, e vai até a casa dele tirar satisfações. Já ali num primeiro instante eles já tem uma aproximação que os deixaria perturbados. Pouco depois ela descobre que não foi Moby que engravidou sua cadela, e também que Travis é o veterinário da cidade e salvaria Molly.
   Depois disso eles se aproximam enquanto Kevin viaja a trabalho. Travis acaba se apaixonando e convida Gabby para passear com ele e seus amigos, jantar, e passear de moto.  E ela, já sentindo mais do que uma simpatia por ele, aceita todos os convites.Sthephanie, irmã de Travis, é uma personagem relevante do livro e me identifiquei muito com o jeito dela (se tornou minha personagem preferida). Ao final desse tempo que passam juntos ela tem que escolher entre seu relacionamento de 4 anos e um cara que acabou de conhecer, mas que já a deixou completamente apaixonada. Bom, logicamente ela opta por aquilo que faz seu coração saltitar, e ai começa uma verdadeira história de amor. 
   O título do livro se encaixa perfeitamente em cada página, porque, como o leitor descobre ao decorrer do livro, Gabby não é a única que tem que escolher alguma coisa. Com o avançar das páginas descobrimos que depois de casados, Gabby e Travis estão passando por um momento muito delicado. Casados há 11 anos e com duas filhas, eles passam por um momento difícil e está nas mãos de Travis o destino dessa história. 
    É dividido em duas partes, a primeira conta como se conheceram e todas as aventuras juntos. A segunda conta o grande drama do livro. 
   Me surpreendi muito com o final, e acho que todo mundo que já leu também. Não se tornou meu livro preferido do Sparks, mas tem uma coisa única, uma mensagem especial. 



"- Eu não quero perdê-la, Gabby. Eu não consigo imaginar vê-la andando em direção ao seu carro pela manhã e fingir que nada que nada disse aconteceu. Não consigo imaginar não me sentar aqui no sofá, como não consigo me imaginar estar apaixonado por qualquer mulher."


sexta-feira, 25 de abril de 2014

Tag: 10 perguntas literárias

Oi gente! Cá estou eu de novo... prometo tentar parar com esses sumiços, mas é que a rotina anda me consumindo. Queria fazer uma postagem diferente, já que ultimamente só tenho feito resenhas, então andei procurando umas tag's e adorei a que vi no Sonhar de olhos abertos e resolvi fazer de intrometida haha. A TAG foi criada pela Ana Vitorino do blog Como Respira  e é constituída por 10 perguntas. Vamos lá?

1- Qual a capa mais bonita da tua estante?
Sem pensar duas vezes: A estrela que nunca vai se apagar


Pegar um livro na prateleira e de cara já ver o rostinho lindo dessa guerreira ai não tem palavras que traduzam. Além de toda a minha história com esse livro que contei na resenha





2 – Se pudesses trazer 1 personagem para a realidade, qual seria?
Hermione Granger, minha personagem favorita da minha série favorita. HP <3

3 – Se pudesses entrevistar um autor(a), qual seria?
J.K Rowling, a rainha da literatura. 

4 – Um livro que não lerás de novo? Porquê?
Cidades de Papel. É um livro bonitinho e etc e tal, mas não acho que merece uma releitura.

5 – Uma história confusa?
Psicose. Já tem uns 2 meses que li e até hoje não entendi bem o final (e não vou assistir o filme porque sou medrosa rs).

6 – Um casal?
Augustus e Hazel. Eles são os mais lindos, bonitinhos e perfeitos do mundo <3 maior amor do mundo por esse casal.

7 – 2 vilões. (Pode ser tanto 2 vilões que gostes como 2 vilões que não gostes)
Bellatrix Lestrangre  e Voldemort de HP

8 – Uma personagem que matarias (ou tiravas do livro)?
A Margo de Cidades de Papel. Menina chaaata... eu sei que o livro depende dela e blablabla mas ela podia ser menos mesquinha. 

9 – Se pudesses viver num livro, qual seria?
Harry Potter gente, meu sonho estudar em Hogwarts, viver em Hogsmead ou Godric's Hollow. Ainda continuo esperando minha carta, tem chance dela ter se atrasado 8 anos? haha :(      

10- Qual seu livro menor e qual o maior? (em questão de páginas)
Menor é O diário do Chaves e o maior é A estrela que nunca vai se apagar

Bom, ai estão minhas respostas. Não vou indicar ninguém já que fiz de intrometida hahaha quem quiser fazer fique à vontade, só não esqueça de colocar o nome da criadora da tag. Por hoje é só gente, beijos e até a próxima.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

[Resenha] Quadribol Através dos Séculos

Autor: J.K. Rowling
Editora: Rocco
Paginas: 63

sinopse: Se você algum dia quis saber como surgiu o pomo de ouro ou por que o time dos 'Vagamundos de Wigtown' (Wigtown Wanderers) tem a estampa de um cutelo de açougueiro no uniforme, você precisa ler 'Quadribol através dos séculos' (Quidditch throught the ages). Esta edição limitada é uma cópia do exemplar guardado na Biblioteca Escolar de Hogwarts e consultado por jovens fãs do quadribol quase diariamente. A renda obtida na venda deste livro reverterá para o Comic Relief, que destinará o dinheiro ao seu trabalho de salvar vidas - um trabalho mais importante e mais surpreendente do que a segunda captura do pomo de ouro, em três segundos e meio, por 'Rodrigo Plumpton' (Roderick Plumpton), em 1921.
Alvo Dumbledore


"Quadribol Através dos Séculos", assim como "Os contos de Beedle, o Bardo" (resenha aqui.) e "Animais Fantásticos e Onde Habitam" (resenha aqui.), foi trago de dentro da série Harry Potter. O mesmo conta a história do quadribol, um esporte jogado por bruxos. Além, de várias curiosidades sobre times, jogadas, vassouras, etc.

Dos três livros que foram tragos a realidade, esse foi o que eu achei mais interessante. O livro é bem legal, tem várias ilustrações explicativas, e o livro é como se foce um livro da biblioteca de hogwarts, e contém o nome das pessoas que pegam ele para ler.

Recomendo para o fãs de Harry Potter que querem conhecer mais sobre o mundo bruxo criado por J.K Rowling.

Nota: 10/10

quinta-feira, 17 de abril de 2014

[Resenha] O Dom

Autor: James Patterson e Ned Rust
Páginas: 285
Editora: Novo Conceito

Atenção: a sinopse e a resenha pode conter spoilers do primeiro livro, "Bruxos e Bruxas".

Sinopse: Os irmãos Allgood nunca desistem de lutar contra os poderes autoritários e desumanos d’O Único Que É O Único, mas, agora, eles estão sem Margô — a jovem e atrevida revolucionária; sem Célia — o grande amor de Whit; e sem seus pais — que provavelmente estão mortos... Então, em uma tentativa de esquecer suas tristes lembranças e, ao mesmo tempo, continuar seu trabalho revolucionário, os irmãos vão parar em um concerto de rock organizado pela Resistência onde os caminhos de Wisty e de um jovem roqueiro vão se cruzar. Afinal, Wisty poderá encontrar algo que lhe ofereça alguma alegria em meio a tanta aflição, quem sabe o seu verdadeiro amor... Mas, quando se trata destes irmãos, nada costuma ser muito simples e tudo pode sofrer uma reviravolta grave, do tipo que pode comprometer suas vidas. Enquanto passam por perdas e ganhos, O Único Que É O Único continua fazendo uso de todos os seus poderes, inclusive do poder do gelo e da neve, para conquistar o dom de Wisty... Ou para, finalmente, matá-la.

"O Dom" é o segundo livro da série "Bruxos e Bruxas" de James Patterson. Após enfrentar grandes perigos em "Bruxos e Bruxas", desafiando um inimigo poderoso, Whit e Wisty enfrentam problemas ainda maiores, "O Único Que é o Único" está ainda mais poderoso, e quer ainda mais poder, ele quer a magia da "Única Que Tem o Dom".

Afim de tentar aliviar toda tenção que estão enfrentado, Wisty, vai a um show de rock organizado pela Resistência, onde conhece um garoto.

Mas, essa distração dura pouco, ainda virão muitos problemas, a final, a Nova Ordem e O Único, quer dominar o mundo, e não deixaram os irmão Allgood sossegados.

Whit e Wisty, precisam aprender a controlar o seu dom, e seus medos e desejos, precisam saber em quem confiar, precisam "sair da zona de conforto" e "arriscar-se mais" (o autor também deveria) para assim continuar liderando a Resistência, e livrar o mundo d'O Único.

"Uma coisa é certa: assim como meu nome é Wisteria Rose Allgood, meu pensamento é um só: 'Vou queimar tudo e todos ao meu redor. Queimais até acabar com tudo'". (página 19)

Eu esperava por um algo a mais no segundo livro, esperava que tivesse uma evolução da magia dos irmãos, mais precisamente do Whit, que é o meu personagem preferido, mas o livro gira mais em torno de Wisty, me decepcionei mais uma vez nesse quesito, se não gostei da magia deles no primeiro livro, nesse gostei ainda menos, achei que o autor iria fazer algo maior, mas o livro não chegou a ser melhor que o primeiro. Mas, isso não quer dizer que não gostei da história, pelo contrário, o livro me prendeu, e gostei bastante, acho que foi só isso mesmo que me decepcionou.

Ao contrário da magia de Whit e Wisty, alguns personagem evoluíram bastante, que o caso do Byron, o fuinha. Ele aparece mais nesse livro, e teve uma participação muito importante, que me fez gostar dele e depois odiá-lo e depois gostar, e por ai vai.

"O Dom" tem bastante cenas de ação, assim como "Bruxos e Bruxas", mas não dá pra comparar, o livro realmente não evoluiu, mas eu não deixei de gostar da história, não é tão viciante e intenso quanto o primeiro, mas vou ler o terceiro livro da série.

A história continua sendo imprevisível, e o final me surpreendeu, e gostei, por isso quero ler o próximo livro.

Clicando aqui, vocês podem ler a resenha do primeiro livro. Em quanto a nota, vou ter que tirar alguns pontos, mais uma vez pelo mesmo motivo que tirei na primeira resenha.

Nota: 8/10

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Entrevista

Oi gente! Entrevista 6 para vocês, depois de tanto tempo (desculpem pela demora), prometo que tentaremos trazer com mais frequência as entrevistas. Desta vez o entrevistado é o Clóvis, do blog De Frente com os Livros. Confira:


1- Como surgiu seu blog?
Ler para mim não estava surtindo efeito, eu comecei a sentir necessidade sobre aquilo que lia. De início comecei a escrever resenhas apenas para mim ou mesmo no skoob, depois pensei “por que não abrir um blog e escrever sobre tudo aquilo que gosto?” então surgiu o De frente com os livros que fala sobre variedades.

2- Quando começou sua paixão por livros?
Quando criança não era aficionado por livros mas sim gibis. Ao crescer, a leitura se manteve, porém com revistas etc até chegar nos livros. Meu primeiro livro (sem obrigação) foi O caçador de pipas e logo em seguida a saga Crepúsculo, que me fez ver o quanto a leitura podia ser divertida e interessante.

3- Qual o seu tipo de livro preferido?
Embora eu adore livros reflexivos, que falem sobre política ou filosofia, não é sempre que estou disposto a lê-los. Sou um amante de fantasia e livros de aventura, me emociono com dramas bem escritos, contudo, não leio de tudo um pouco.

4- Qual foi o melhor livro que você já leu?
São muitos livros assim. Acho 1984 de Orwell fenomenal.

5- Tem um "ritual" para começar a ler um novo livro?
Sempre leio a contra-capa, abas e ficha técnica antes de começar.

6- Tem um escritor preferido?
J.K Rowling e Edgar Allan Poe por já ter lido boa parte da obra de ambos.

7- Já se arrependeu de ler algum livro?
Sim. São poucos, porque procuro sempre ler aquilo que faz meu perfil, mas aconteceu isso com “Floresta dos Corvos”. Não gosto nem de lembrar.

8- Qual sua série favorita?
De tevê ou livro? Fiquei em dúvida.
Grey’s Anatomy sendo televisiva e Harry Potter como literatura.

9- Indique um blog.

10- Indique um livro.
Um livro que pouca gente conhece mas é sensacional. Bem forte e traz muitas questões importantes. Além de citar um livro dentro de outro é Sr. Pip de Lloyd Jones.


Legal, né? Então, não deixem de visitar o blog do Clóvis que é realmente muito bom. E confira as entrevistas anteriores clicando aqui. Se quiser ver aquele blog que você ama e curte muito aqui na coluna de entrevistas, mande nos comentários o link do blog. Até a próxima...

quinta-feira, 10 de abril de 2014

[Resenha] Enders

Autora: Lissa Price
Páginas: 286
Editora: Novo Conceito

ATENÇÃO: A RESENHA E A SINOPSE CONTÉM SPOILERS DO PRIMEIRO LIVRO, "STARTERS"


Sinopse: Depois que a Prime Destinations foi demolida, Callie pensou que teria paz para viver ao lado do ir- mão, Tyler, e do amigo, Michael. O banco de corpos foi destruído para sempre, e Callie nunca mais terá de alugar-se para os abomináveis Enders. No entanto, ela e Michael têm o chip implantado no cérebro e podem ser controlados. Além disso, o Velho ainda se comunica com Callie. O pesadelo não terminou. Agora, Callie procura uma maneira de remover o chip – isso pode custar sua vida, mas vai silenciar a voz que fala em sua mente. Se continuar sob o domínio dos Enders, Callie estará constantemente sujeita a fazer o que não quer, inclusive contra as pessoas que mais ama. Callie tem pouco tempo. Obstinada por descobrir quem é de fato o Velho e desejando, mais que tudo, uma vida normal para si e para o irmão, ela vai lutar pela verdade. Custe o que custar.


Enders, é o livro que da sequência a "Starters", uma história incrível, um enredo incrível, personagens incríveis.

A história começa com Callie morando na mansão que Helena, sua inquilina, avia deixado para ela de herança, junto com seu irmão Tyler.  E ainda no primeiro capitulo ela descobre que "O Velho" ainda pode se comunicar com ela.

Ao longo da história, Callíe tentará se livrar de seu chip e do "Velho" que tanto a atormenta, e nisso ela irá conhecer Hyden, um Starter que tentará ajudar elimina-lo, e salvar os outros Starters dos planos mirabolantes dele. Além, de procurar saber o que aconteceu com a neta de Helena, e com o neto de Lauren, sua guardiã.

Callie, enfrenta grandes perigos junto com Michael e Hyden, para descobrir a verdade e finalmente conseguir uma vida sossegada ao lado do irmão. Mas, ela precisa tomar cuidado ao confiar, pois "ninguém é realmente o que parece".

Não vou falar muito, pois querendo ou não irá conter informações do primeiro livro. Eu faço resenhas de livros que estou lendo atualmente, mas eu vou tentar trazer para vocês a resenha de "Starters".

Como eu já disse, é um livro incrível, cheio de surpresas. Fiquei muito satisfeita com o que li, e sinceramente gostaria muito que tivesse um terceiro livro, mas infelizmente, a história é uma duologia. Tentei imaginar como seria a história, foi totalmente o contrário, muito melhor do que eu pensava e, o final me deixou muito satisfeita.

O livro, é narrado em primeira pessoa, pela Callie, no caso. Meus personagens preferidos, com certeza, é a própria Callie e Hyden. Em quanto a capa, muito linda, com um efeito metalizado que tem tudo a ver com a história. E tem um momento na história que me fez voltar na capa e dizer: "Nossa, é por isso, incrível!"

A distopia criada por Lissa Price, esta sendo um dos melhores livros que eu li esse ano, não me decepcionou nem um pouco, de verdade. Então, diante de todos os fatos aqui expostos, não teria como eu dar outra nota.

Nota: 10/10

sábado, 5 de abril de 2014

[Resenha] A estrela que nunca vai se apagar

Autora: Esther Earl ( Participação de Lori e Wayne Earl)
Páginas: 437
Editora: Intríseca
Sinopse: A Estrela Que Nunca Vai Se Apagar conta a história de Esther Grace Earl, diagnosticada com câncer da tireoide aos 12 anos. A obra é uma espécie de diário da jovem, com ilustrações, fotos de seu arquivo pessoal, textos publicados na internet, bate-papos com os inúmeros amigos que fez on-line e reproduções de cartas escritas em datas comemorativas como aniversários. A jovem perdeu a batalha contra a doença, mas deixou um legado de otimismo e celebração ao amor. Atualmente sua mãe, Lori Earl, preside a instituição sem fins lucrativos This Star Won´t Go Out (tswgo.org), que apoia pacientes e famílias que lutam contra o câncer.

  Apesar de o título da postagem acusar ''Resenha'', eu não vou me atrever a chamá-lo assim. Já aviso pra vocês que essa postagem será melosa, grande e cheia de sentimentos. Desde que soube da publicação desse livro, fiquei maluca para lê-lo, coloquei minha mãe doida e ela me deu. Eu disse que será cheia de sentimentos porque comprei esse livro lembrando da minha prima, Jeniffer. A perdi pro câncer tem pouco mais de um mês e gente, essa dor não vai passar nunca. Ela é ''A estrela que nunca vai se apagar'' da minha vida. A amo e vou amar pra sempre, e tenho nela as melhores lembranças de luta e determinação. As palavras de Esther me tocaram muito e eu pude entender um pouco o universo de uma pessoa que sofre dessa doença terrível. 
 
 O livro é um misto de diário, postagem de um blog e palavras de quem a amou e vai amar pra sempre. Carregado de sentimentos e em cada palavra eu senti uma ''pancada'' diferente. Eu sempre senti muito e por isso mesmo, a perda da minha princesa está doendo muito, mas muito mesmo. Até hoje eu não me recuperei e nem consigo acreditar (se é que um dia vou). 


 "Deus é o motivo de eu estar sobrevivendo, mas ele sem dúvida colocou vocês na minha vida de uma forma maravilhosa. Eu amo vocês. Queria que houvesse uma forma menos melosa de dizer, mas amo mesmo. Simplesmente amo. Obrigada."

 Dizer que a Esther falece não é spoiler, porque todos já sabem que esse fato trágico aconteceu em 2010. Já li A culpa é das Estrelas e não chorei, mas como a história de Esther é real e estou passando por essa dor eu chorei muito quando cheguei nessa parte. Minha mãe não acreditou ao me ver chorando tanto e lendo. Chorei lendo umas 30 páginas depois da morte dela e lembrando da minha prima. Parecia que eu estava revivendo a hora que recebi a notícia de novo e nada me fez parar de chorar. 

Jeniffer e Ludimila, janeiro de 2014
Jeniffer, Ludimila e Maiara. Belo Horizonte, 1996



Não me arrependi de uma página sequer e recomendo muito a leitura, MUITO mesmo. Mas se você for sentimental como eu, se prepare. Esther vai te levar para um mundo totalmente diferente e mostrar que mesmo sofrendo com uma doença terrível, não devemos deixar de amar a vida. 


"Quando o dia chegar, seja em um, dez ou cem anos, eu não quero que vocês pensem em mim e fiquem tristes. Mesmo agora que estou viva, não pensem em mim e digam "Pobrezinha. É uma pena que ela esteja doente". Não que vocês façam isso. Pensem em mim e pensem na luz do sol e no quanto aaamo animais e desenhar coisas bonitas."

"Por meio de sua bondade, seu carinho e amor pela vida, ela permitia que os outros fossem eles mesmos. [...] que estávamos a um dia do momento em que o amor de Esther pelo mundo se tornaria contagioso. Ela estava prestes a inspirar uma mudança no mundo.

  E sem contar a aparência do livro, que coisa MARAVILHOSA!!! Vermelho, verde, cheio de estrelas, fotos e desenhos. Você se muda para o mundo de Esther durante a leitura. Leiam galera, é uma lição de vida.
  Eu queria passar pra vocês o que eu senti lendo esse livro, mas eu não consigo. É algo muito forte e triste ao mesmo tempo. É sem explicação, só lendo vocês vão ter ideia do que se sente. Queria pedir desculpas também por não ser uma resenha, mas diante da situação que li esse livro eu não poderia deixar de associa-lo com minha perda. Foi tocante e emocionante. Me transformou. 

terça-feira, 1 de abril de 2014

Metas: Abril


  Hello people!! kk oi gente, primeiro dia do mês é dia de que? Isso mesmo... traçar METAS. Porém, vamos ao que lemos em março:

Ludimila: Nascida à meia-noite, Uma lição inesquecível e Entre o sertão e sevilha
Nayara: Harry Potter e as relíquias da morte
  
  Agora simmm, vamos lá. Leituras para abril:

Ludimila:
A estrela que nunca vai se apagar                            A escolha                                 




Nayara:
Enders                                                         O dom



    Acompanhem o blog ao longo do mês para conferirem as resenhas. Beijos!