segunda-feira, 18 de agosto de 2014

[Resenha] A última carta de amor

Autora: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas: 384
Sinopse: Londres, 1960. Ao acordar em um hospital após um acidente de carro, Jennifer Stirling não consegue se lembrar de nada. De volta à casa com o marido, ela tenta, em vão, recuperar a memória de sua antiga vida. Por mais que todos à sua volta pareçam atenciosos e amáveis, Jennifer sente que falta alguma coisa. É então que ela descobre uma série de cartas de amor escondidas, endereçadas a ela e assinadas apenas por ''B'', e percebe que não só estava vivendo um romance fora do casamento como também parecia disposta a arriscar tudo para ficar com seu amante. Quatro décadas depois, a jornalista Ellie Haworth encontra uma dessas cartas endereçadas a Jennifer durante uma pesquisa nos arquivos do jornal em que trabalhava. Obcecada com a ideia de reunir os protagonistas desse amor proibido — em parte porque ela mesma está envolvida com um homem casado —, Ellie começa a procurar ''B'', sem desconfiar que, ao fazer isso, talvez encontre uma solução para os problemas do seu próprio relacionamento.

   A última carta de amor conta a história de Jennifer Stirling, uma dama da sociedade, bem casada e com uma boa vida, mas que mantém um relacionamento extra conjugal na década de 60. Jenny está disposta a largar seu marido e ficar com seu amante, mas um divórcio nessa época era a última coisa bem vista. Após sofrer um acidente, essa bela mulher, não consegue se lembrar de nada - até achar uma das cartas de amor que o seu amoroso ''B'' a mandou. Paralelamente, conhecemos a história de Ellie, uma jornalista bem sucedida,no ano de 2003, empregada em um ótimo jornal, mas com um grande dilema: tem um caso com um homem casado. 
  Essas histórias se entrelaçam quando Ellie acha uma das cartas endereçadas a Jenniffer, no arquivo do jornal onde trabalha. E daí pra frente essa jornalista fará de tudo para juntar o casal desse romance tão lindo, e ao mesmo tempo arrumar coragem para resolver seu próprio caso. 
   
“Certa vez uma pessoa sábia me disse que escrever é perigoso, pois nem sempre podemos garantir que nossas palavras serão lidas no espírito em que foram escritas.”

  O livro se divide em três partes e é narrado em terceira pessoa. Numa mistura de passado e presente, A última carta de amor me conquistou por completo. É o primeiro livro que leio da Jojo e já quero ler todos os outros. É uma obra linda e com todo o toque de amor. A estética é maravilhosa, fiquei completamente apaixonada por tudo. Com certeza entrou pra lista dos meus favoritos! 

             Um beijo e até a próxima...

     

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

[Resenha] Incendeia-me

Autora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Páginas: 383

ATENÇÃO: a sinopse e a resenha a seguir se trata do 3º livro da trilogia, por tanto pode conter spoilers de Estilhaça-me e Liberta-me

Sinopse: UM DIA EU POSSO ROMPER UM DIA EU POSSO R O M P E R E ME LIBERTAR NADA MAIS VAI SER IGUAL O destino do Ponto Ômega é desconhecido. Todas as pessoas com quem Juliette se importa podem estar mortas. Talvez a guerra tenha chegado ao fim antes mesmo de ter começado. Juliette foi a única que restou no caminho d' O Restabelecimento. E sabe que, se ela sobreviver, O Restabelecimento não sobreviverá. Entretanto, para destruir O Restabelecimento e o homem que quase a matou, Juliette vai precisar da ajuda de alguém em quem nunca pensou que pudesse confiar: Warner. Enquanto eles lutam juntos para combater o inimigo, Juliette descobre que tudo que ela pensava saber sobre seu poder, sobre Warner e até mesmo Adam era uma mentira.


"Não tenho mais medo do medo, e não vou deixá-lo mandar em mim.
O medo vai aprender a me temer." página 100

Juliette ainda tem seus medos, ainda tem medo do seu poder, mas não pode continuar assim. Seus amigos, as únicas pessoas que se importaram com ela, Adam, Kenji, e tantos outros podem estar mortas e o Ponto Ômega pode estar destruído. Ela precisa lutar contra O Restabelecimento, precisa parar de ter medo.

Mas, ela não pode lutar sozinha. Ela é apenas uma garota de 17 anos que tem medo de sua própria sombra. O que ela não podia imaginar é que contaria com a ajuda de uma pessoa que ela só queria ver morta (ou não) Warner.

Mas será que tudo que ela conhece sobre Warner e até mesmo Adam é verdade? Ou tem mais coisas além do que ela já sabe?

"Sou Juliette Ferrars e vou liderar esta nação."

Incendeia-me entra pra lista dos melhores livros que li até agora, e sem duvidas vai estar entre meus melhores do ano.

A história ultrapassou minhas expectativas. Eu esperava a Juliette melancólica, cheia de dramas do 1º e 2º livro, mas em Incendeia-me...

Não vou dizer muito da história, não quero cometer spoler, e se eu cometer me perdoem, é difícil falar de uma continuação.

Como Juliette, os outros personagem evoluíram muito. Warner se tornou um dos meus preferidos, apesar de odiá-lo em vários capítulos. Adam evoluiu bastante também, me surpreendendo em algumas partes, Kenji eu nem preciso dizer muito, amei ele desde de quando ele apareceu pela primeira vez em Estilhaça-me.

Incendeia-me é intenso, divertido, tem ação, conflitos... Um dos melhores livros distópicos que já li. Recomendo muito a trilogia Estilhaça-me. Todos os 3 livros são muito bons. Super recomendo e, não tem como dar outra nota.

Nota: 10/10

E para fechar, só um spolerzinho do que vem por ai... Terror \o/\o/

domingo, 3 de agosto de 2014

[Resenha] Quem é você, Alasca?

Autor: John Green 
Páginas: 229
Editora: Martins Fontes
Sinopse: Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras que, cansado de sua vidinha pacata e sem graça em casa, vai estudar num colégio interno à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o "Grande Talvez". Muita coisa o aguarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young, uma garota inteligente, espirituosa, problemática e extremamente sensual, que o levará para o seu labirinto e o catapultará em direção ao "Grande Talvez".

  Tudo que você precisa saber sobre Quem é você, Alasca? se encontra na capa: O PRIMEIRO AMIGO, A PRIMEIRA GAROTA, AS ÚLTIMAS PALAVRAS.

   Miles é um garoto fissurado por últimas palavras e decora todas que pode. Quando chega em Culver Creek rapidamente se torna amigo do seu colega de quarto, o Coronel, que rapidamente o apresenta para Alasca, uma garota bonita e cheia de mistérios. Junto com Takumi e Lara eles passam por altas aventuras nesse internato. O livro é dividido da seguinte maneira: ''cem dias antes'',''noventa dias antes''... até chegar o dia do grande acontecimento do livro, e eu garanto que vocês vão se surpreender com ele.

   Tenho que confessar que a história não me agradou e foi até um pouco decepcionante. Eu esperava algo a mais pelo tanto que já ouvi falar sobre. A escrita é agradável, passa bem rápido e prende o leitor, mas faltou um QUE a mais. Acho que meu grande problema é sempre ler o John e ficar esperando algo como A Culpa é das Estrelas de novo, já que Hazel e Gus são os amores da minha vida. 
     Não é um livro ruim, mas assim como em Cidades de Papel eu não gostei da Margo, nessa obra eu não agradei da Alasca (o que é estranho já que é uma das personagens principais). 
     Não digo que não indico a leitura, cada um interpreta de uma maneira diferente ao ler, mas não é um livro que entra na minha lista de ''Quero reler''. 

           Um beijo e até a próxima!