terça-feira, 21 de outubro de 2014

[Resenha] Uma curva na estrada

Autor: Nicholas Sparks
Editora: Arqueiro
Páginas: 303
Sinopse: A vida do subxerife Miles Ryan parecia ter chegado ao fim no dia em que sua esposa morreu. Missy tinha sido seu primeiro amor, a namorada de escola que se tornara a companheira de todos os momentos, a mulher sensual que se mostrara uma mãe carinhosa. Uma noite Missy saiu para correr e não voltou. Tinha sido atropelada numa rua perto de casa. As investigações da polícia nada revelaram. Para Miles, esse fato é duplamente doloroso: além de enfrentar o sofrimento de perder a esposa, ele se culpa por não ter descoberto o motorista que a atropelou e fugiu sem prestar socorro. Dois anos depois, ele ainda anseia levar o criminoso à justiça. É quando conhece Sarah Andrews. Professora de seu filho, Jonah, ela se mudou de Baltimore para New Bern na expectativa de refazer sua vida após o divórcio. Sarah logo percebe a tristeza nos olhos do aluno e, em seguida, nos do pai dele. Sarah e Miles começam a se aproximar e, em pouco tempo, estão rindo juntos e apaixonados. Mas nenhum dos dois tem ideia de que um segredo os une e os obrigará a tomar uma decisão difícil, que pode mudar suas vidas para sempre. Nesta obra, Nicholas Sparks escreve com incrível intensidade sobre as difíceis reviravoltas da vida e sua incomparável doçura. Um livro sobre as imperfeições do ser humano, os erros que todos cometemos e a alegria que experimentamos quando nos permitimos amar.

       Uma curva na estrada nos traz a história de Miles Ryan, um subxerife que vive amargurado desde que sua esposa morreu. Desde então ele tem que cuidar sozinho do seu filho, Jonah, que vive tendo pesadelos desde que perdeu a mãe. O livro traz também a história de Sarah, uma professora que acabou de sair de um relacionamento com um fim nada bom. O caminho de Miles, Jonah e Sarah se cruzam quando ela se torna professora do menino e, ao ver que ele tem dificuldades, se oferece para dar-lhe aulas particulares. Depois de algum tempo Miles e Sarah acabam se apaixonando, mas ele continua cegamente obcecado em busca do assassino de Missy. Mas esse amor fica ameaçado por um grande segredo, o que faz com que o livro seja intrigante e viciante. 
      É narrado em terceira pessoa, mas alguns capítulos são narrados pelo assassino de Missy, o que foi, na minha opinião, uma jogada de mestre do Nicholas. 
      Uma curva na estrada te faz querer mais, até descobrir quem é o grande vilão dessa história. Mais uma vez, Nicholas nos traz uma história de amor e sobretudo, de perdão e recomeço.

  

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Tag: Doenças Literárias

  Oi, galera! Sim, eu tô viva \o \o \o/ KKKKKKKKKKKKKK Brincadeiras à parte, me desculpem pelo sumiço, pela falta de resenha e etc... depois que me mudei e comecei meu curso técnico (que estou amando) não estou tendo tempo pra nada :o mas aos poucos me adequo e volto com as leituras. 
  Hoje vim trazer pra vocês a tag ''Doenças Literárias'' que vi no blog Dama Turquesa e achei muito interessante. Vou só citar o livro pra não ficar muito grande, já que são 9 perguntas. A tag consiste em associar um livro à uma doença. Vamos la!?

1-Diabetes: Um livro muito doce: Um amor pra recordar

2-Catapora: Um livro que você leu uma vez para nunca mais na vida: Cidades de Papel
3- Influenza A: Um livro contagioso: Querido John 
4- Ciclo Menstrual: Um livro que você relê constantemente: A Culpa é das Estrelas
5- Insônia: Um livro que você virou a noite lendo: Harry Potter e a Ordem da Fênix 
6-Amnésia: Um livro que você leu e não se lembra: Diário de uma paixão
7- Asma: Um livro que te tirou o fôlego: Psicose
8- Má Nutrição: Um livro que você esqueceu de comer para ler: Harry Potter e as Relíquias da Morte
9- Doença de Viagem: Um livro que te  leva pra outra época/mundo/lugar: A coleção inteira de Harry Potter

  Bom gente, essas são minhas respostas.. fiquem à vontade pra responder, mas sem esquecer de dar os créditos. Beijos e até a próxima.

domingo, 12 de outubro de 2014

Dia das Crianças

Olá pessoas! Como estão indo?
Hoje eu vim aqui por causa das crianças, dia 12 de outubro é o dia delas. Eu diria que é o dia de todos, pois ninguém deve deixar de ser criança, pois assim a vida vai ser chata, então vamos ser crianças, ao menos uma vez. Então em homenagem ao Dia das Crianças, eu vou compartilhar alguns livros da literatura infantil que eu lia quando eu era criança. Alguns deles me marcaram, e me lembro com muito carinho de cada um. Então vamos lá...



O primeiro que irei compartilhar, é um livro que sempre gostei muito e, infelizmente não sei onde ele foi parar, "Ninguém é igual a ninguém", da Regina Otero e Regina Rennó. O livro é bem pequeno, tem umas 12 páginas mais ou menos, leitura simples e que pode ensinar uma lição as crianças de que elas não devem se preocupar com a sua aparência física, gordo, magro, alto, baixo, ruivo, moreno, ninguém é igual a ninguém, você tem que ser o que você é.


Outro é o livro "Menina Bonita do Laço de Fita", da Ana Maria Machado, conta a história de um coelho que queria ser negro igual a Menina Bonita do Laço de Fita, ele faz de tudo pra conseguir ficar negro. O livro é bem legal, e ajuda as crianças a intender de um jeito simples e meigo esse assunto que é tão debatido nos dias de hoje que é a fraternidade inter-racial.


Ah o próximo livro eu era apaixonada, e com certeza era meu preferido, "Umbigo Indiscreto", da Eva Furnari. Esse livro é incrível, muito bem humorado e também fala da diferença entre as pessoas, como "Ninguém é Igual a Ninguém", e a importância de ter opiniões diferente e costumes diferentes. Esse é um livro que eu recomendo, mas recomendo muito, é incrível.



Agora, os próximos livros foram indicados pela Ana Caroline, do blog Contos de Duas Doidas, já viram a entrevista dela no blog? Clique aqui. Confira:

"A série de livros Poderosa: O Diário de Uma Garota que Tinha o Mundo na Mão, conta a história de Joana Dalva, que por causa de um acidente descobre que tem um poder, um grande poder. Ao quebrar o braço direito, ela é forçada a escrever com a outra mão esquerda, tornando assim tudo o que ela escreve com a mão esquerda se torna realidade. Um poder que traz muitos benefícios e muita confusão também. Em meio a separação dos pais, o irmão chato, o primeiro namorado e tantas outras coisas, Joana vai percebendo que não é tão fácil ser adolescente. O terceiro livro é o meu preferido, é quando ela tem que ajudar uma amiga que vive presa, o pai dela não deixa ela fazer nada e Joana Dalva está sendo ameaçada por uma mulher, que jura contar tudo a todo mundo se ela não fizer tudo o que ela quiser. Eu recomendo por que foi um dos livros que me fez ficar apaixonada pela leitura e o escritor também é muito legal, o Sérgio Klein." Ana Caroline.


Espero que vocês tenham gostado, e mesmo não sendo mais "criança", leiam, pois os livros são realmente muito legais. E aos pais leiam esses livros para seus filhos, comprem e dê de presente, e não se limitem só a esses, o universo dos livros infantis é enorme, coloquei aqui apenas alguns que eu gostava muito de ler. Presentear com livros pode ser um grande incentivo aos seus filhos para terem o gosto pela leitura. Beijos e abraços para vocês, e FELIZ DIA DAS CRIANÇAS!!!