sexta-feira, 22 de setembro de 2017

[Lista de Desejos] As séries mais desejadas

Olá, leitores!

Hoje eu venho compartilhar com vocês, mais um pouco da minha lista de livros, filmes e séries, na coluna Lista de Desejos. Não sei com que milagre, as minhas séries estão todas em dia, não tem nenhuma em atraso, apesar da minha lista estar bem grande e são das séries que quero ver, que comentarei!


Como já tem um bom tempo que não falo de séries aqui no blog, deixo mais para o Rafa e o Rodolfo, eu não contei a vocês que assisti muitas das séries que estava na minha lista de desejos e ela deu uma boa diminuída, mas ainda tem muitas para ver.

Entre as que assisti, estava: Desventuras em Série e Orphan Black. A última foi indicação de um amigo e foi uma das séries que mais me surpreendeu até hoje, por causa da atuação da atriz Tatiana Maslany, que fez diversas personagens, com distintas personalidades. Sério, fiquei chocada! Depois vou tentar trazer um Mudando de Assunto sobre a série, aqui no blog.

Estou assistindo atualmente, a série Friends e apesar de ser bem diferente do que eu tenho costume de ver, estou gostando muito. Mas não vim pra falar do que eu assisti e sim um pouco do que eu quero assistir. Chega de enrolar e vamos lá:

1. Black Mirror (Disponível na Netflix)

Essa série é a próxima da minha lista e estou bem ansiosa para ler. Conheci através de um amigo, que gosta muito e disse que eu vou amar, então estou confiando nele hahaha.


Sinopse: Black Mirror retrata a inquietação coletiva em relação ao mundo moderno. Com muito suspense e genialidade, cada história explora temas relacionados à paranoia tecnológica contemporânea. A tecnologia transformou todos os aspectos de nossa vida: em todas as casas, em todos os escritórios e nas mãos de todas as pessoas há uma tela de plasma, um monitor, um smartphone – um espelho negro refletindo a nossa existência no século 21.

2. Riverdale

Riverdale eu sinceramente não me lembro onde ouvi falar, bem provável que foi em um blog, mas como eu não anotei, eu não me recordo, mas enfim... eu gostei muito da premissa da série. A história parece que traz muitos mistérios, o que me chama muita atenção.


Sinopse: Riverdale traz uma abordagem subversiva de Archie (KJ Apa), Betty (Lili Reinhart), Veronica (Camila Mendes), Jughead Jones (Cole Sprouse), Josie (Ashleigh Murray) e seus amigos, explorando o surrealismo de uma pequena cidade e seus curiosos habitantes. A história começa quando a cidade se recupera de uma trágica perda, o que leva Archie a pensar mais seriamente a respeito de seu futuro. Com isto, ele embarca em uma jornada em busca de realizar o seu sonho de tornar um grande músico; mas cumprir essa missão não será nada fácil, enquanto Archie ainda precisa lidar com sua agitada vida amorosa, dividido entre Betty e Veronica.

3. Full House (Disponível na Netflix)

Essa é um tipo de série que não costumo assistir, mas eu fiquei muito curiosa com a história, até porque ela é muito conhecida e se tornou um clássico, conquistando muitos fãs e bom, eu também quero ser conquistada, né? hahaha. Eu conheci a série a pouco tempo, no blog Viver Em Dois Mundos.


Sinopse: Em Full HouseDanny está viúvo e precisa de toda a ajuda que puder encontrar para criar suas três filhas pequenas: D.J., Stephanie e Michelle. Para isso, ele conta com o apoio de seu melhor amigo, Joey, e de seu cunhado Jesse. Assim começa uma das séries de comédia mais bem sucedidas da televisão, a qual lançou no mapa de Hollywood muitos atores que dela participaram.
Essa são apenas as 3 primeiras séries da minha lista, ainda tem muuuitas pra ver, mas depois venho compartilhar com vocês, se não esse post (que já está grande) vai ficar enorme!

Vocês já assistiram algumas dessas séries? São realmente boas? Se tiverem alguma para me indicar, comentem aí (se tiver feito uma crítica sobre, manda o link também), vou amar aumentar minha lista!

Beijos! 

terça-feira, 19 de setembro de 2017

[Parceria] Daniel Henrique

Olá, leitores!

É com muita alegria, que venho compartilhar com vocês, que fechamos mais uma parceria aqui no blog, com o blogueiro e também autor, Daniel Henrique! Eu já conhecia o Daniel há um tempinho, nós fizemos uma parceria com os blogs, e eu fiquei super feliz, de verdade, quando ele propôs a parceria como autor. 

Agora, oficialmente apresento, Daniel Henrique, nosso novo parceiro! Julgando pelo grande comunicador que o autor é, sei que a obra é excelente!

O AUTOR

Daniel Henrique Pessoa Garibaldi. Nascido em 19 de abril de 1997, na cidade de Campinas, SP. Começou a adquirir o interesse pela leitura aos 6 anos, mais tarde, aos 10 anos, escreveu seu primeiro conto, mas este não foi publicado. Continuou escrevendo em Blogs e mantém seu canal no Youtube onde faz vídeo-resenhas, análises de filmes e séries. 

Aos 19 anos começou a escrever seu livro “meia noite”.


A OBRA

Kate, Karen e Kassie são três jovens que foram acampar em uma cidadezinha no interior do estado de São Paulo. Quando uma delas desaparece e suas amigas saem em busca por pistas, descobrem segredos da cidade e que um assassino pode estar à solta. Elas irão contar com a ajuda de Jonathan. Um detetive que mora na cidade há muitos anos e também tem um passado surpreendente naquele local.


Eu já estava acompanhando todo o progresso do autor com sua nova história nas redes sociais. Fiquei super feliz quando vi que o seu livro ia ser publicado pela Editora Skull e mais feliz ainda pelo sucesso que está sendo a obra em tão pouco tempo. Então, como uma boa admiradora de livros de terror/suspense, já estava doida para conhecer, por isso estou me sentindo muito contente e honrada pelo Daniel confiar no meu trabalho e já estou ansiosa pela leitura!

ACOMPANHE NAS REDES SOCIAIS:


Deixem o comentário de vocês! Quero saber: Já conheciam o autor? O que esperam da obra?

Beijos! 

domingo, 17 de setembro de 2017

[Mudando de Assunto] O Homem que viu o infinito


Título Original: The Man Who Knew Infinity
Direção: Matthew Brown
Duração: 1h 54 min
Lançamento: 22 de Setembro de 2016
Elenco: Dev Patel, Jeremy Irons, Toby Jones, Stephen Fry, Jeremy Northam e Kevin McNally
Gênero: Biografia/Drama
Origem: Reino Unido

Mais um brilhante filme no catálogo da nossa queridinha Netflix. Dessa vez uma história fantástica de uma pessoa que mudou completamente o universo da matemática e que fez importantes descobertas, principalmente sobre o valor de uma grande amizade. 

Srinivasa Ramanujan para muitos, pode passar despercebido ou até mesmo esquecido, mas para aqueles que amam o universo da matemática, ele praticamente mudou o rumo do campo de exatas, tudo isso mostrado nesse brilhante e incrível filme. 


Pobre, sem estudos e desprezado por muitos, Ramanujan enfrenta diversos desafios do qual, com o seu esforço, vai lutar para fazer uma verdadeira revolução na matemática. Realizou contribuições substanciais nas áreas da análise matemática, teoria dos números, séries infinitas, frações continuadas, entre outros importantes trabalhos. 

Fiquem tranquilos! No filme, eles não aprofundam nessas teorias um tanto (muito complexas), absurdas. O foco principal é a luta que Ramanujan tem para mostrar ao Mundo sua mente brilhante e fazer diferença no campo da exatas. 


No modo geral, produção, fotografia e ambientação, estão de parabéns! Notamos toda estrutura e os pequenos detalhes da época em que Ramanujan viveu, pelas décadas de 30 e 40. Ah! Um ponto forte do filme é que mostra a eclosão da 2° Guerra Mundial, quando o Reino Unido passa a enviar tropas para o front. 

Ramanujan tem um elo forte com o seu mentor, GH Hardy, um exêcentrico professor e notório professor do  Colégio Trinity, na Universidade de Cambridge, até então Hardy, fica com ares de desconfiança por conta do matemático indiano e chega até duvidar da capacidade dele. 

O valor da amizade entre Ramanujan e o professor Hardy começa evoluir durante o filme, o esforço e dedicação do jovem matemático mostra que vale à pena correr atrás dos seus sonhos e lutar pelos seus ideais. 
Então Travellers, fica minha dica de um excelente filme. Que tal aproveitar o final de semana pra conferir? Não esqueçam de comentar e compartilhar!

Um beijo e um bacon! 







terça-feira, 12 de setembro de 2017

[Resenha] Lendárias - A Legião


Autora: Cristy S. Angel
Páginas: 212
Editora: PenDragon

Sinopse: Em sua busca pela libertação de uma maldição, Kahlan, a líder das lendárias, é capturada pela legião em uma emboscada para ser levada ao rei das terras do norte. Na jornada, repleta de perigos e segredos através da floresta negra, têm seus poderes removidos por um bracelete mágico. Enquanto isso, o restante de seu clã guerreiro terá de decidir se partirá em sua busca ou se desvendará um novo mistério no forte das bruxas. Nesse meio tempo, a jovem e encantadora Líder é levada como prisioneira pelo comandante da legião, o belo Lian Ruthven, mas o que ambos não sabem, é que seus destinos estão mais ligados do que poderiam imaginar.


Hoje vamos falar de um livro que li em poucos dias e fiquei fascinado por toda uma história repleta de magia e encantamento.  Ah! No livro temos uma noção diferente de bruxas e todos os seus misticismos. 

Kahlan é personagem principal da história, bruxa e líder das lendárias (clã). Porém! Raptada, Kahlan é levada, ou melhor, capturada por outro personagem importante da história, o comandante Lian. O objetivo principal do comandante é leva-la com vida para o rei. Não vou contar o resto, seria um baita spoiler. 


Cristy S. Angel possuí uma escrita incrível, bem fluída e instigante, sem contar toda sutileza e desenvoltura durante diversas cenas e acontecimentos entre os personagens. É viciante! O leitor deixa ser levado pela história e por tudo que Kahlan vai enfrentar. 

Outro ponto que destaco é toda estrutura e construção dos personagens, achei fascinante todos os aspectos e detalhes ao redor da trama, tudo bem descrito e deixando próximo ao leitor como se estivéssemos dentro desse universo fantástico. Até mesmo os personagens secundários são bem descritos e construídos. 

Existe algo romântico na história, mas você terá que ler para descobrir, afinal, Kahlan tem uma missão para cumprir e muitos segredos para desvendar. Se ela vai conseguir, aí já não sabemos, pois cada vez que lemos, descobrimos mais segredos dos personagens principais.


Cristy deixa vários pontos decisivos e de tirar o fôlego. Sabe da maior? Tem uma continuação! Estou ansioso para ler e ver os desfechos de muitas situações que ficaram neste primeiro livro. 

Para os leitores do gênero fantasia é mais que indicado essa leitura. Para os leitores que têm curiosidade em conhecer esse gênero também está super indicado.
Não deixe de comentar e compartilhar! Um beijo e um bacon! 

domingo, 10 de setembro de 2017

[Parceria] Mirela Paes

Olá, leitor!

Hoje vim compartilhar com vocês, super atrasada, que o blog renovou parceria com a autora Mirela Paes. A autora está vindo aí com novos projetos, super lindos e que prometem arrancar muitos suspiros por aí, então, nada mais justo, que compartilhar, não é mesmo?

A AUTORA


Mirela Paes é escritora e mora em Recife. Em seus livros, sempre retrata mulher e garotas fortes, com direito a muito romance. Comunicóloga por formação, em seu blog e suas redes sociais compartilha tudo sobre seu dia-a-dia – suas leituras, o que anda assistindo e seu entusiasmo pelo universo feminino.

TRABALHOS PUBLICADOS

Maliciosa (Qualis Editora, 2016)

Uma história cheia de malicias e ao mesmo tempo romântica. A autora soube misturar esses dois elementos tão bem, que eu fiquei vidrada na trama. Um livro que você não pode deixar de conhecer.


Destinos Cruzados (Amazon, 2015 - Qualis Editora 2017)

A autora conseguiu me levar para dentro da história, como se eu estivesse ali no banco do carona do carro ou na frente do palco curtindo as músicas da banda. A sensação de liberdade deles, também te faz ter liberdade. É uma história tão gostosa que, eu poderia ficar aqui rasgando elogios.


ACOMPANHE A AUTORA

Site: Mirela Paes | Instagram: @mirelapaes | Facebook: mirelapaesoficial | Twitter: @mirelapaes
Eu amei os dois livros publicados pela Mirela, tem as resenhas aqui no blog, só clicar no nome dos livros lá em cima. São história super fofas, com personagens muito fortes e que com certeza te arrancará bons suspiros. Depois irei trazer um post especial falando sobre Destinos Cruzados, que teve seu lançamento oficial na Bienal do Livro do Rio de Janeiro, mas enquanto não sai, acompanhe tudo sobre a autora em suas redes sociais!

Beijos! 

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

[Resenha] As Luzes Mais Brilhantes


Autor: Augusto Alvarenga
Páginas: 207
Editora: Astral Cultural

Sinopse: Julién passou por uma fase terrível e seu coração ainda está despedaçado. Agora, ele decidiu viver um dia após o outro, tentando compreender as particularidades dessa cidade enorme que é São Paulo, onde ele vive, mas se sente sozinho. Porém, um dia, quando cruza a Avenida Paulista de bicicleta, ele tromba com Bruna, a aprendiz de cineasta mais diferente que já viu. Por causa desse momento tão inesperado - e quase trágico -, eles decidem tomar um café. E, depois desse café, nada mais foi como antes. Talvez algo possa surgir entre as luzes mais brilhantes da Paulista e repetidos cafés no Starbucks. Talvez eles – e os leitores – possam descobrir se e existe ou não amor em SP.


Em As Luzes Mais Brilhantes, conhecemos Julién, um jovem que mora sozinho em São Paulo e que passa por muitos problemas psicológicos, por causa do seu passado. Ele não se da muito bem com a mãe, que mora longe e ele a culpa por sua vida ser tão solitária e triste.

Mari é a melhor amiga de Julién e está sempre disposta a cuidar dele, principalmente quando ele tem suas crises de ansiedade. Mari é o seu porto seguro, porém, ainda assim, ele se sente muito sozinho.

Em um dia, na Avenida Paulista, voltando pra casa de bicicleta, o jovem atropela uma garota e os dois acabam no chão, machucados. Afim de se redimir por sua distração, Julién convida Bruna, a garota que ele atropelou, para tomar um café no Starbucks.

Os dois se dão muito bem e se tornam amigos. Ele descobre que Bruna é uma garota diferente, a estudante de cinema mais incrível que ele já conheceu, e vê, pela primeira vez, uma chance de não se sentir tão sozinho.

Entre as luzes mais brilhantes de São Paulo, os dois irão se aventurar e viver grandes experiências juntos, descobrindo novas sensações, novos lugares e, talvez, um novo amor.


Quem me acompanha aqui e nas outras redes sociais do blog, deve tá cansado de saber que eu não sou a maior fã de romances, porém, eu estou descobrindo ótimas leituras no gênero e me apaixonando por muitos livros. Além disso, o autor, Augusto Alvarenga, me deixou morrendo de vontade de ir tomar café em um Starbucks, mas tem que ser na da Avenida Paulista hahahaha.

Aqui encontramos um romance bem clichê, mas que é gostoso de ler e muito fácil de se apaixonar. Além disso, o autor trás questões como a depressão, transtornos de ansiedade e síndrome do pânico, que é muito comum em nossa sociedade, mas é pouco discutido.

Eu acredito, que falar sobre depressão é extremamente importante, porque em alguns casos a pessoa nem se quer sabe que está com esse tipo problema e quando ela lê ou escuta outras pessoas, acaba se identificando e procurando por ajuda, assim como terá quem enxergue os sintomas em quem está ao seu redor e saberá como agir, para ajudar.

Ao meu ver, Augusto Alvarenga soube dosar muito bem essa questão na leitura, pois não ficou nada pesado de ler e o romance continuou como a estrela principal.

Eu amei o livro, de verdade, porém algumas coisas me incomodaram e acho que ficou sem explicação, como o nome do personagem, Julién, onde vez ou outra era mencionado que ele não gosta do nome e nem da pronuncia e por isso queria ser chamado de um jeito mais "abrasileirado", mas parece que isso não era respeitado de algum jeito pelos outros personagens e fiquei meio perdida. A outra coisa que me incomodou eu não posso falar se não darei spoiler. O final, me deixou um pouco frustada, porque achei corrido, ainda sim, foi muito fofo.

Apesar dessas ponderações, eu fiquei emocionada com a amizade entre Julién e Mari. A forma como ela cuida dele em uma cena especifica, encheu meus olhos de lágrimas, foi lindo.


Essa resenha ficou até maior do que eu imaginei que ficaria, mas a leitura foi tão gostosa de ser feita, ainda que eu tenha tido esses probleminhas, que da vontade de ficar falando um tempão dela. Minha nota não será máxima, mas que fique bem claro: é um romance muito fofo!
A leitura está mais do que recomendada. É um clichê mega fofo e gostoso de ler. Eu estou muito feliz por ter tido a oportunidade de conhecer a escrita do autor, que é super fluida e o trabalho da Astral está sensacional, a capa é tão apaixonante quanto a história.

Agora, me conta aí, existe ou não amor em São Paulo? Deixe o seu comentário, que eu vou amar saber sua opinião sobre a história!

Beijos!

terça-feira, 5 de setembro de 2017

[Mudando de Assunto] Passatempos Coquetel #2

Saudações literárias, queridos Travellers! Tudo bem com vocês? Espero que sim, pois hoje iremos de? Livros! Não! Vamos falar dos passatempos da Revista Coquetel, minhas compras do mês, para ser mais exato. 

Que pena! O mês de agosto foi embora, triste, né? Nem um pouco! Não sei o motivo, mas detesto esse mês, mas enfim, vamos falar de uma coisa bem mais importante, que foram minhas compras de passatempos da nossa querida Revista Coquetel, dessa vez eu quebrei o porquinho e comprei um monte de passatempos e dei uma diversificada em alguns jogos. 


Quase toda semana é lei, ir na banca da matriz (Mais conhecida como "Banca do Vardo") e ficar alguns minutos escolhendo alguns passatempos da Coquetel, tanto que o Vardo já está acostumado em ver minha cara. 

Não poderia faltar nas minhas compras as famosas palavras cruzadas, notei uma diferença na capa das revistas da família "desafios super", ficou incrível, vocês mandaram bem!

Para o mês de agosto, fiz um diferencial em meus desafios coquetel, quis conhecer um pouco da família "cripto", comprei quatro revistinhas e fiquei fascinado! É viciante e quero comprar mais, já está na minha lista do mês de setembro. 


Só tenho um pequeno apontamento para fazer com o pessoal da Revista Coquetel, infelizmente não veio aquelas revistinhas de Sudoku, só veio aquela com 200 jogos, uma pena, pois já zerei essa revista rs. Enviem na banca do Vardo mais Sudoku, por favor! 

Travellers, gostaram do post? Espero que sim! Mês que vem tem muitas novidades da Revista Coquetel aqui no blog. Sério! Assumo o meu vício com esses passatempos, e espero que os leitores entrem para esse maravilhoso vício rs. Não deixem de curtir, compartilhar e comentar. 


domingo, 27 de agosto de 2017

[Mudando de Assunto] Atypical

Título Original: Atypical
Direção: Joe Kessler, Michael Patrick Jann e Seth Gordon
Duração: 30 min.
Lançamento: 11 de Agosto de 2017.
Elenco:  Keir Gilchrist, Jennifer Jason Leigh e Brigette Lundy-Paine 
Temporadas:
Episódios: 8
Gênero: Comédia, romance e drama
Origem: Estados Unidos

Sam ( Keir Gilchrist) é um jovem autista de 18 anos que está em busca de sua própria independência. Nesta jornada, repleta de desafios, mas que rende algumas risadas, ele e sua família aprendem a lidar com as dificuldades da vida e descobrem que o significado de "ser um pessoa normal" não é tão óbvio assim.

Saudações literárias, travellers! Tudo bem com vocês? Hoje vamos falar de mais uma série da nossa amada e queridinha, Netflix. Sim! Dessa vez eles acertaram em cheio produzindo essa série que achei incrível. Vamos falar sobre ela?

"Atypical" retrata vida de um jovem autista (Transtorno do Espectro Autista), que tem por objetivo principal arrumar uma namorada. Sam tem apenas 18 anos e tem aquela sede de buscar uma namorada e  sentir o verdadeiro significado do amor, com bom humor, vemos o quanto nossa sociedade é fechada quando trata-se de autismo. 


No decorrer da série, acompanhamos à jornada de Sam em busca do seu objetivo amoroso, em muitas vezes notei uma espécie de humor negro em determinadas situações, mas nada que fuja do objetivo da série em mostrar em diversos ângulos da vida de um autista. 

Um ponto positivo para Netflix! Gostei dela focar toda uma série nesse transtorno que podemos conhecer e sentir na pele de uma família que tenha um filho diagnosticado com autismo. 

Keir Gilchrist atuou de uma forma brilhante, dando um realismo impecável na série, deixando nós, telespectadores emocionados em diversas situações. Ah! Outro ponto que destaco, é o melhor amigo do Sam, o cara é hilário com suas dicas amorosas e de conquistar uma garota. Prestem atenção nesse sujeito. 


A série deixa bem rico nos detalhes familiares, de como eles têm que se adaptar da melhor forma possível para gerar um bom conforto com o seu filho. Conflitos familiares são retratados de uma forma impecável, também, deixando uma série bem completa e até mesmo intensa em determinados momentos. 

Indico? Claro! São episódio com no máximo 30min de duração, em uma tarde você concluí todos os episódio. Você vai estar praticamente ao lado de Sam, vivenciar seus gostos, medos e aflições. Ah! E uma busca por uma namorada. 

Atypical vai fazer você rir, chorar, ficar com raiva e até mesmo deixar com o coração partido. Super recomendo essa incrível série, não vejo à hora de sair a segunda temporada. 

Bora apertar o play e conferir essa encantadora série. Não deixe de comentar e compartilhar. 



terça-feira, 22 de agosto de 2017

[Mudando de Assunto] Desventuras em Série


Título: Desventuras em Série.
Título Original: Lemony Snicket's A Series of Unfortunate Events.
Direção: Mark Hudis e Barry Sonnenfeld.
Duração: 50 min.
Lançamento: 13 de Janeiro de 2017.
Elenco: Neil Patrick Harris, Malina Weissman, Louis Hynes, Patrick Warburton e Joan Cusack.
Temporadas: 1 (Renovado)
Episódios: 8.
Gênero: Aventura, drama e fantasia.
Origem: Estados Unidos.

Os órfãos Baudelaire são três irmãos muito inteligentes; Violet é a mais velha, Klaus é o irmão do meio e Sunny é a mais nova, com três anos. Quando seus pais morrem, eles passam a morar com diferentes tutores, e o primeiro é Conde Olaf, que irá tentar roubar a enorme herança deixada pelos pais.
Saudações literárias! Vamos falar de séries, da nossa querida e amada Netflix, sem mistérios, afinal, já leram o título e sabem muito bem de qual série irei falar. Bora conferir o post completo?

Fiz questão de passar essa série na frente de várias outras da minha lista, o motivo? Estou lendo os livros, até o momento do post, terminando o oitavo livro.


Vamos falar da série! Os irmãos Baudelaire perderam seus pais em um terrível incêndio e teve que viver com o tutor, Conde Olaf, um personagem asqueroso que tem como objetivo por suas garras na fortuna dos órfãos.

Violet, Klaus e Sunny passam por diversas situações trágicas, que envolve outros tutore e uma implacável perseguição do Conde Olaf para conseguir agarrar os órfãos e por fim neles e conseguir toda fortuna guardada para as crianças.

A série foi produzida pela Netflix, agora vem uma pequena parte explicativa. Cada dois episódios é formado por um livro, ou seja, os oitos episódios da série formam os quatro primeiros livros.


Produção impecável e os efeitos visuais estão incríveis, de início com os primeiros episódios notei que foi bem fiel com os livros, porém, partindo para o final da série notei que eles acabaram se perdendo e deixando faltar àquela essência dos livros, agora é esperar pela segunda temporada.

O ator que faz o Conde Olaf é conhecido por outras séries, gostei da atuação dele, ficou bem maléfico e assustador. Vale-se à pena assistir? Sim, mas não crie tanta expectativa, o fator animador é que tem muitas aventuras.

O certo é vocês lerem os livros primeiro (se possível), antes de ver essa série. Enfim! Vocês vão poder acompanhar toda uma sucessão de tragédias na vida dos órfãos.

Espero que vocês tenham gostado do post  e não deixem de comentar. 


domingo, 20 de agosto de 2017

Revista Conexão Literatura - 26ª Edição

Olá, leitor!

Hoje trago a vocês mais uma super edição da revista literária mais amada pelos leitores, Conexão Literatura! Nessa 26ª edição, o destaque fica para um autor que já passou aqui pelo blog. Fizemos uma semana de divulgação incrível para suas obras e no final teve um sorteio super especial de um dos livros dele, junto com o autor e outros blogs, e foi uma leitora aqui do blog que ganhou! Mas vamos ao que mais importa, mais uma edição incrível:


J. Modesto é um dos principais autores da literatura de terror nacional e nesta edição, a revista Conexão Literatura, trouxe uma entrevista muito bacana com o autor, onde ele fala sobre seus livros, suas experiência no meio literário e futuros lançamentos.

Nesta edição, você ainda irá conferir mais entrevistas incríveis, resenhas, crônicas (uma delas é do Rafa, colaborador aqui do blog e tá incrível!), contos e indicações de livros!

Como sempre, a edição está espetacular e é bom poder acompanhar a evolução da revista, que a cada edição se supera mais. Mal posso esperar pela próxima! Baixe a sua no site da revista! Deixe seu comentário, vou amar poder discutir sobre essa edição com você!

Beijos! 

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

[Resenha] Quando eu era invisível


Autor: Martin Pistorius
Páginas: 270
Editora: Astral Cultural

Sinopse: Até aos 12 anos, Martin Pistorius era um menino igual aos outros, feliz e saudável. Ninguém nunca imaginaria que um dia ele fosse adoecer gravemente e que, em pouco tempo, pararia de andar e falar. Para os médicos, Martin tinha entrado em estado vegetativo. Porém, lentamente, Martin começou a recuperar a consciência e a perceber tudo o que acontecia ao seu redor. Preso em seu próprio corpo, ele era incapaz de mostrar isso para a sua família e àqueles que cuidavam dele. Depois de 12 anos de encarceramento, Martin conheceu Virna, uma terapeuta que viu além do corpo preso a uma cadeira de rodas e que apenas movia os olhos. Ela conseguiu enxergar um ser humano na plena posse das suas faculdades mentais. Este foi apenas o princípio de um extraordinário renascimento e o primeiro impulso para que Martin despertasse, gradualmente, para a vida. De um menino que dependia completamente dos outros, Martin Pistorius transformou-se em um homem independente, que se formou na faculdade, conseguiu um emprego e casou com o amor da sua vida. A vida de Martin é uma surpreendente história real de superação que vai mexer com todas as suas emoções. Você vai torcer, chorar e reconhecer nele uma inspiradora força de vontade para realizar o impossível.


Imaginem: uma criança normal, que se diverte, brinca, é feliz, saudável e do nada começa a se sentir mal e aos poucos perde a habilidade de andar e se comunicar. Imaginaram? Essa foi é a história real de Martin Pistorius.

Martin adoeceu aos 12 anos de idade, uma doença desconhecida para os médicos, que depois de tentarem tantos tratamentos, desistiram e não acreditavam mais na recuperação do garoto.

Martin se desligou do mundo, aos poucos não se lembrava como fazer tarefas básicas, esqueceu o rosto das pessoas, foi perdendo os movimentos do corpo.

Depois de um tempo, sua mente começou a funcionar novamente, porém seu corpo ainda era inútil. Ninguém parecia notar que ele estava vivo dentro de uma casca. Ele era invisível para todos e foi assim que Martin começou a observar tudo que estava a sua volta, presenciando amores, brigas, tristeza e o desespero da sua mãe por não saber lidar com toda aquela situação.

Martin encontrou em seu caminho pessoas maravilhosas, que acreditavam em sua recuperação e que sabiam, de alguma forma, que ele estava vivo ali dentro. Mas, também passou por pessoas que fizeram coisas terríveis com ele, abusando de sua fragilidade.

O garoto invisível, acreditava que tudo aquilo poderia mudar e que um dia ele poderia voltar a se comunicar, conhecer o amor, trabalhar, voltar a ser visível... de fato ele conseguiu!



Quando eu comecei a ler esse livro eu imaginei que ficaria comovida, porém eu não esperava que Quando eu era invisível me deixaria tão emocionada e que eu teria uma mistura de emoções, como raiva, amor, compaixão e tristeza em uma auto-biografia.

Martin passou por tantas coisas, boas e ruins, quando tinha que ficar em clinicas para seus pais trabalharem, que eu não consigo nem me imaginar em seu lugar.

Neste livro, você lerá uma história de superação tão linda, que vai te inspirar em vários momentos da vida. O autor lutou tão bravamente para conseguir o que queria, seguir os seus sonhos, voltar a ter voz (ainda que não seja realmente a sua), voltar a ser ouvido, voltar a ser visível, que é impossível você não se emocionar.

Três momentos de sua história, em particular, me deixaram extremamente comovida e foram nesses capítulos que eu não aguentei e chorei. Primeiro por compaixão e os outros dois de raiva. Martin foi tratado tão mal algumas vezes, que foi desesperador ler esses trechos. Juro para você que fiquei muito aflita e estou me arrepiando só de lembrar. Eu fico tentando achar alguma justificativa para existir pessoas tão ruins assim. No primeiro momento, eu até entendo, porque as vezes realmente não sabemos lidar com situações desconhecidas e aí que temos que ser resilientes. Mas nos outros dois capítulos, sério, eu senti tanta raiva, porque o preconceito e a insanidade do ser humano pode chegar tão longe, que me da vergonha e me inoja.

Eu não queria me prolongar tanto com essa resenha, mas falar da história de Martin Pistorius é tão difícil, por causa da comoção que ela trás, quanto empolgante, porque ela é inspiradora.

Ele passou por uma doença completamente desconhecida, os médicos desencorajaram os seus pais, dizendo que não tinham mais o que fazer, que ele já estava em um estado de vegetação. Ele passou por provações sobre o amor, a amizade e tantas outras coisas ruins. Conseguiu voltar a comunicar com as pessoas, conseguiu um trabalho, conheceu o amor da sua vida e continua inspirando pessoas pelo mundo. Tem como não se inspirar? Impossível!


Minha nota para Quando eu era invisível não poderia ser menos de 5 estrelas. Eu me emocionei muito e sem sombra de dúvidas, do gênero, esse livro se tornou o meu preferido de todos que já li.
Recomendo essa linda história para todo mundo que precisa ser inspirado e que gosta de biografias. Eu garanto a você, que será impossível não se comover!