domingo, 27 de agosto de 2017

[Mudando de Assunto] Atypical

Título Original: Atypical
Direção: Joe Kessler, Michael Patrick Jann e Seth Gordon
Duração: 30 min.
Lançamento: 11 de Agosto de 2017.
Elenco:  Keir Gilchrist, Jennifer Jason Leigh e Brigette Lundy-Paine 
Temporadas:
Episódios: 8
Gênero: Comédia, romance e drama
Origem: Estados Unidos

Sam ( Keir Gilchrist) é um jovem autista de 18 anos que está em busca de sua própria independência. Nesta jornada, repleta de desafios, mas que rende algumas risadas, ele e sua família aprendem a lidar com as dificuldades da vida e descobrem que o significado de "ser um pessoa normal" não é tão óbvio assim.

Saudações literárias, travellers! Tudo bem com vocês? Hoje vamos falar de mais uma série da nossa amada e queridinha, Netflix. Sim! Dessa vez eles acertaram em cheio produzindo essa série que achei incrível. Vamos falar sobre ela?

"Atypical" retrata vida de um jovem autista (Transtorno do Espectro Autista), que tem por objetivo principal arrumar uma namorada. Sam tem apenas 18 anos e tem aquela sede de buscar uma namorada e  sentir o verdadeiro significado do amor, com bom humor, vemos o quanto nossa sociedade é fechada quando trata-se de autismo. 


No decorrer da série, acompanhamos à jornada de Sam em busca do seu objetivo amoroso, em muitas vezes notei uma espécie de humor negro em determinadas situações, mas nada que fuja do objetivo da série em mostrar em diversos ângulos da vida de um autista. 

Um ponto positivo para Netflix! Gostei dela focar toda uma série nesse transtorno que podemos conhecer e sentir na pele de uma família que tenha um filho diagnosticado com autismo. 

Keir Gilchrist atuou de uma forma brilhante, dando um realismo impecável na série, deixando nós, telespectadores emocionados em diversas situações. Ah! Outro ponto que destaco, é o melhor amigo do Sam, o cara é hilário com suas dicas amorosas e de conquistar uma garota. Prestem atenção nesse sujeito. 


A série deixa bem rico nos detalhes familiares, de como eles têm que se adaptar da melhor forma possível para gerar um bom conforto com o seu filho. Conflitos familiares são retratados de uma forma impecável, também, deixando uma série bem completa e até mesmo intensa em determinados momentos. 

Indico? Claro! São episódio com no máximo 30min de duração, em uma tarde você concluí todos os episódio. Você vai estar praticamente ao lado de Sam, vivenciar seus gostos, medos e aflições. Ah! E uma busca por uma namorada. 

Atypical vai fazer você rir, chorar, ficar com raiva e até mesmo deixar com o coração partido. Super recomendo essa incrível série, não vejo à hora de sair a segunda temporada. 

Bora apertar o play e conferir essa encantadora série. Não deixe de comentar e compartilhar. 



terça-feira, 22 de agosto de 2017

[Mudando de Assunto] Desventuras em Série


Título: Desventuras em Série.
Título Original: Lemony Snicket's A Series of Unfortunate Events.
Direção: Mark Hudis e Barry Sonnenfeld.
Duração: 50 min.
Lançamento: 13 de Janeiro de 2017.
Elenco: Neil Patrick Harris, Malina Weissman, Louis Hynes, Patrick Warburton e Joan Cusack.
Temporadas: 1 (Renovado)
Episódios: 8.
Gênero: Aventura, drama e fantasia.
Origem: Estados Unidos.

Os órfãos Baudelaire são três irmãos muito inteligentes; Violet é a mais velha, Klaus é o irmão do meio e Sunny é a mais nova, com três anos. Quando seus pais morrem, eles passam a morar com diferentes tutores, e o primeiro é Conde Olaf, que irá tentar roubar a enorme herança deixada pelos pais.
Saudações literárias! Vamos falar de séries, da nossa querida e amada Netflix, sem mistérios, afinal, já leram o título e sabem muito bem de qual série irei falar. Bora conferir o post completo?

Fiz questão de passar essa série na frente de várias outras da minha lista, o motivo? Estou lendo os livros, até o momento do post, terminando o oitavo livro.


Vamos falar da série! Os irmãos Baudelaire perderam seus pais em um terrível incêndio e teve que viver com o tutor, Conde Olaf, um personagem asqueroso que tem como objetivo por suas garras na fortuna dos órfãos.

Violet, Klaus e Sunny passam por diversas situações trágicas, que envolve outros tutore e uma implacável perseguição do Conde Olaf para conseguir agarrar os órfãos e por fim neles e conseguir toda fortuna guardada para as crianças.

A série foi produzida pela Netflix, agora vem uma pequena parte explicativa. Cada dois episódios é formado por um livro, ou seja, os oitos episódios da série formam os quatro primeiros livros.


Produção impecável e os efeitos visuais estão incríveis, de início com os primeiros episódios notei que foi bem fiel com os livros, porém, partindo para o final da série notei que eles acabaram se perdendo e deixando faltar àquela essência dos livros, agora é esperar pela segunda temporada.

O ator que faz o Conde Olaf é conhecido por outras séries, gostei da atuação dele, ficou bem maléfico e assustador. Vale-se à pena assistir? Sim, mas não crie tanta expectativa, o fator animador é que tem muitas aventuras.

O certo é vocês lerem os livros primeiro (se possível), antes de ver essa série. Enfim! Vocês vão poder acompanhar toda uma sucessão de tragédias na vida dos órfãos.

Espero que vocês tenham gostado do post  e não deixem de comentar. 


domingo, 20 de agosto de 2017

Revista Conexão Literatura - 26ª Edição

Olá, leitor!

Hoje trago a vocês mais uma super edição da revista literária mais amada pelos leitores, Conexão Literatura! Nessa 26ª edição, o destaque fica para um autor que já passou aqui pelo blog. Fizemos uma semana de divulgação incrível para suas obras e no final teve um sorteio super especial de um dos livros dele, junto com o autor e outros blogs, e foi uma leitora aqui do blog que ganhou! Mas vamos ao que mais importa, mais uma edição incrível:


J. Modesto é um dos principais autores da literatura de terror nacional e nesta edição, a revista Conexão Literatura, trouxe uma entrevista muito bacana com o autor, onde ele fala sobre seus livros, suas experiência no meio literário e futuros lançamentos.

Nesta edição, você ainda irá conferir mais entrevistas incríveis, resenhas, crônicas (uma delas é do Rafa, colaborador aqui do blog e tá incrível!), contos e indicações de livros!

Como sempre, a edição está espetacular e é bom poder acompanhar a evolução da revista, que a cada edição se supera mais. Mal posso esperar pela próxima! Baixe a sua no site da revista! Deixe seu comentário, vou amar poder discutir sobre essa edição com você!

Beijos! 

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

[Resenha] Quando eu era invisível


Autor: Martin Pistorius
Páginas: 270
Editora: Astral Cultural

Sinopse: Até aos 12 anos, Martin Pistorius era um menino igual aos outros, feliz e saudável. Ninguém nunca imaginaria que um dia ele fosse adoecer gravemente e que, em pouco tempo, pararia de andar e falar. Para os médicos, Martin tinha entrado em estado vegetativo. Porém, lentamente, Martin começou a recuperar a consciência e a perceber tudo o que acontecia ao seu redor. Preso em seu próprio corpo, ele era incapaz de mostrar isso para a sua família e àqueles que cuidavam dele. Depois de 12 anos de encarceramento, Martin conheceu Virna, uma terapeuta que viu além do corpo preso a uma cadeira de rodas e que apenas movia os olhos. Ela conseguiu enxergar um ser humano na plena posse das suas faculdades mentais. Este foi apenas o princípio de um extraordinário renascimento e o primeiro impulso para que Martin despertasse, gradualmente, para a vida. De um menino que dependia completamente dos outros, Martin Pistorius transformou-se em um homem independente, que se formou na faculdade, conseguiu um emprego e casou com o amor da sua vida. A vida de Martin é uma surpreendente história real de superação que vai mexer com todas as suas emoções. Você vai torcer, chorar e reconhecer nele uma inspiradora força de vontade para realizar o impossível.


Imaginem: uma criança normal, que se diverte, brinca, é feliz, saudável e do nada começa a se sentir mal e aos poucos perde a habilidade de andar e se comunicar. Imaginaram? Essa foi é a história real de Martin Pistorius.

Martin adoeceu aos 12 anos de idade, uma doença desconhecida para os médicos, que depois de tentarem tantos tratamentos, desistiram e não acreditavam mais na recuperação do garoto.

Martin se desligou do mundo, aos poucos não se lembrava como fazer tarefas básicas, esqueceu o rosto das pessoas, foi perdendo os movimentos do corpo.

Depois de um tempo, sua mente começou a funcionar novamente, porém seu corpo ainda era inútil. Ninguém parecia notar que ele estava vivo dentro de uma casca. Ele era invisível para todos e foi assim que Martin começou a observar tudo que estava a sua volta, presenciando amores, brigas, tristeza e o desespero da sua mãe por não saber lidar com toda aquela situação.

Martin encontrou em seu caminho pessoas maravilhosas, que acreditavam em sua recuperação e que sabiam, de alguma forma, que ele estava vivo ali dentro. Mas, também passou por pessoas que fizeram coisas terríveis com ele, abusando de sua fragilidade.

O garoto invisível, acreditava que tudo aquilo poderia mudar e que um dia ele poderia voltar a se comunicar, conhecer o amor, trabalhar, voltar a ser visível... de fato ele conseguiu!



Quando eu comecei a ler esse livro eu imaginei que ficaria comovida, porém eu não esperava que Quando eu era invisível me deixaria tão emocionada e que eu teria uma mistura de emoções, como raiva, amor, compaixão e tristeza em uma auto-biografia.

Martin passou por tantas coisas, boas e ruins, quando tinha que ficar em clinicas para seus pais trabalharem, que eu não consigo nem me imaginar em seu lugar.

Neste livro, você lerá uma história de superação tão linda, que vai te inspirar em vários momentos da vida. O autor lutou tão bravamente para conseguir o que queria, seguir os seus sonhos, voltar a ter voz (ainda que não seja realmente a sua), voltar a ser ouvido, voltar a ser visível, que é impossível você não se emocionar.

Três momentos de sua história, em particular, me deixaram extremamente comovida e foram nesses capítulos que eu não aguentei e chorei. Primeiro por compaixão e os outros dois de raiva. Martin foi tratado tão mal algumas vezes, que foi desesperador ler esses trechos. Juro para você que fiquei muito aflita e estou me arrepiando só de lembrar. Eu fico tentando achar alguma justificativa para existir pessoas tão ruins assim. No primeiro momento, eu até entendo, porque as vezes realmente não sabemos lidar com situações desconhecidas e aí que temos que ser resilientes. Mas nos outros dois capítulos, sério, eu senti tanta raiva, porque o preconceito e a insanidade do ser humano pode chegar tão longe, que me da vergonha e me inoja.

Eu não queria me prolongar tanto com essa resenha, mas falar da história de Martin Pistorius é tão difícil, por causa da comoção que ela trás, quanto empolgante, porque ela é inspiradora.

Ele passou por uma doença completamente desconhecida, os médicos desencorajaram os seus pais, dizendo que não tinham mais o que fazer, que ele já estava em um estado de vegetação. Ele passou por provações sobre o amor, a amizade e tantas outras coisas ruins. Conseguiu voltar a comunicar com as pessoas, conseguiu um trabalho, conheceu o amor da sua vida e continua inspirando pessoas pelo mundo. Tem como não se inspirar? Impossível!


Minha nota para Quando eu era invisível não poderia ser menos de 5 estrelas. Eu me emocionei muito e sem sombra de dúvidas, do gênero, esse livro se tornou o meu preferido de todos que já li.
Recomendo essa linda história para todo mundo que precisa ser inspirado e que gosta de biografias. Eu garanto a você, que será impossível não se comover!


segunda-feira, 14 de agosto de 2017

[Resenha] Hebe - A Biografia


Autor: Artur Xexéo
Páginas: 274
Editora: Best Seller

Sinopse: A biografia da Rainha da televisão por um dos mais conhecidos jornalistas brasileiros Hebe Camargo é um dos grandes nomes da história da televisão brasileira. A estrela, que começou sua carreira cantando no rádio, foi convidada para a primeira transmissão ao vivo da televisão brasileira e nela ficou até sua ultima gravação, em 2012, sendo conhecida por sua irreverência e autenticidade. Nesta biografia, o jornalista Artur Xexéo se dedica a contar toda a trajetória da cantora e apresentadora que marcou a história do rádio e da televisão no Brasil. Com depoimentos de artistas que acompanharam de perto a carreira de Hebe e relatos dos familiares da apresentadora, este livro vai encantar tanto aos fãs dessa mulher que deixou sua marca na TV brasileira e os aficionados pela história da televisão e do rádio.


Uma biografia completa da rainha da televisão brasileira, do qual marcou centenas de milhares de telespectadores, com um carisma e alegria de que viver que contagiava todo mundo, Hebe fez história, do qual vamos acompanhar nessa brilhante obra, uma vida de sorrisos, mas de muitas lágrimas.

Artur Xexéo possui uma escrita bem fluída e até mesmo divertida, não é uma leitura parada e sim contagiante, um ponto em destaque do autor é narrar e apresentar toda evolução e transformação do rádio, do qual nossa querida Hebe pôde fazer parte.

Sendo uma biografia, conhecemos os dois lados da moeda da vida de Hebe Camargo, até mesmo seus amores proibidos, casamentos e sofrimentos, ela sempre foi uma mulher guerreira que soube ser feliz até mesmo nos momentos difíceis.


Descrever e transmitir tudo que Hebe Camargo vivenciou deve ter sido uma tarefa difícil, nós, leitores temos o privilégio de conhecer essa mulher guerreira e batalhadora, que correu atrás dos seus objetivos.

Quem não se lembra de acompanhar diversas entrevista no sofá mais famoso do Brasil? O programa da Hebe era uma segunda casa que os telespectadores acompanhavam todas segundas feiras (inclusive eu).


Vamos recordar os grandes acontecimentos da televisão brasileira da qual Hebe também estava presente, e que fez história. Uma viagem histórica através da vida de uma menina pobre do interior que se tornou à rainha da televisão e uma mulher símbolo do luxo e estilo, com suas joias e vestidos da alta costura mundial. 

Então, gracinhas. Espero que vocês tenham gostado da resenha e não esqueçam de comentar e compartilhar. Um beijo e um bacon, até à próxima. 






quinta-feira, 3 de agosto de 2017

[Mudando de Assunto] IT A Coisa

Olaaa caros amigos e amigas, leitores assíduos e amantes de filmes, como vai vocês?? Espero que bem, e dessa vez falarei de terror, ehhh, mas um clássico meus caros sera colocado em postagem.

Hoje falarei de uma Obra do Terror literalmente, pois seu criador o fez assim, mas, mais do que isso falarei de um retorno clássico. Sabemos que Livros são obras que nos marcam muito não é mesmo galera, e IT com certeza para quem leu sabe o que é um terror marcante. Não bastasse o livro ser tenebroso como ele só surge na direção de Tommy Lee Wallace (o mesmo de A Hora do Espanto) e no roteiro do autor do livro Stephen King para marcar em 1990 o primeiro filme da série IT A Coisa.


Ele não apenas foi surpreendente naquele ano como é até hoje. Galera eu assisti ele novamente para poder falar aqui e devo lhes dizer - o melhor filme que já vi sobre palhaços. Claro que ele não era um palhaço mesmo e sim "a coisa" que tinha roubado a juventude das crianças para se manter vivo e também o monstro por detrás do palhaço. IT na época foi tão tenebroso que ganhou o prêmio Emmy de melhor trilha sonora, Especial Mini/Série além de ser indicado na categoria melhor edição - Especial Mini/Série. (Que por mim, deveria ter ganhado).


O livro foi muito célebre também na época, tanto de sua estréia em 1986 quanto para as telas. Tim Curry na época tinha a característica ideal para ele e como irei falar também sobre o remake deste ano o ator Bill Skarsgard também tem todo o senso da "Coisa". Algumas curiosidades marcam este filme como por exemplo: No livro, A Coisa é de variados ciclos como Lua, Aranha, Drácula, Lobsomen e tantos mais. Quanto ao filme ele aparece instigando um garoto no formato de Lua e sua forma original é de uma Aranha Gigante (Uhhh credo). O livro é longo e por isso Tommy Lee Wallace e sua produção com a ajuda do gênio Stephen King precisou de 2 horas e meia de filme muito bem aplicados. E para a coisa... não o filme a coisa aqui... e sim a coisa que estou dizendo... bom vocês estão entendendo, quer dizer o que estou contando ficar mais aterrorizante, IT foi baseado em um caso verídico  de uma pessoa que se vestia de palhaço para assassinar crianças.


IT A Coisa (2017) tem estréia para 7 de Setembro e conta com um glamour e tanto. Na direção do Argentino Andrés Muschietti, conta com um grande elenco e os trailers que já estão circulando é  de botar espanto em todos. Relembrando que a mesma cena do garoto atrás de seu barquinho que cai no boeiro e é pego pelo palhaço também terá seu remake.


E é claro é sempre bom fazermos uma comparação de gênios, então vale a dica: assistam IT de 1990, leiam o livro de Stephen King e então vão para o cinema. (Se tiverem coragem de fazer isso tudo hahaha).


Galera não esqueçam de comentar e compartilhar viu? Espero rever vocês novamente em Ação!! Eu deixo a vocês meu forte abraço e ótimas leituras e filmes para vocês.


terça-feira, 1 de agosto de 2017

[Curiosidades] Um vício chamado Coquetel

Saudações literárias, Travellers! Tudo bem com vocês? Espero que sim!

Hoje vou falar um pouco mais de um vício que tenho já faz um certo tempinho, mas é um vício saudável e que recomendo aos leitores entrarem nesse vício. 

Em um dos meus primeiros posts, falei sobre esse meu vício, que vocês podem acessar aqui. Agora trago esse outro post especial, do qual vou falar das minhas compras do mês da Coquetel (não é bebida, se fosse bebida, seria uma bela Coca-Cola trincando de gelada).

Mas, vou explicar de qual Coquetel estou falando. Bora conhecer um pouco mais?




Então, Travellers à Coquetel é pioneira em revistas, livros e tudo que é referente com voltada exclusivamente para a área de passatempos. Publica revistas de palavras-cruzadas, caça-palavras, sudoku, entre outros. 

Com mais de seis décadas de histórias e muitos passatempos publicados, a Coquetel faz parte da minha vida de nerd. Todo mês vou na Banca da Matriz aqui em Ibitinga, mais conhecida como Banca do Centro ou para os fregueses mais antigos, Banca do Vardo. Ele está tão acostumado com minha cara por lá que já é regra eu passar e perguntar: "Vardo, já chegou novas palavras-cruzadas e Sudoko?"

Ufa! Agora sim, vocês leitores sabem de qual Coquetel estou falando. Ah! Eles não publicam só palavras-cruzadas e sudoku, são mais de 90 títulos entre revistas e livros, que chegam às bancas, e livrarias em todo o país. 

Bora ver minha lista de compras?

Vou começar com os meus preferidos, que são às palavras-cruzadas, todo mês compro dois níveis médios e dois níveis difíceis. Procuro fazer uma revistinha por semana, aliviar o stress e deixar minha cuca em constante funcionamento. 


Level Hard!
Meu favoritos

Agora vamos falar de um passatempo que fiquei muito viciado, o bom e velho (é velho mesmo! Esse joguinho é das antigas!) Sudoku. Ele exige alto nível de lógica e um raciocínio bem rápido do jogador, além de ser muito bom para tirar o stress. Ah! Na imagem você verá que tem um Sudoku que tem 500 jogos, esse é o melhor, parece que nunca acaba. Super recomendo! 


Gostaram do post level hard, Treveller? Não esqueçam de comentar, compartilhar e jogar muitas palavras-cruzadas e Sudoku. Quem quiser me dar uma revistinhas da Coquetel de presente, eu aceito, em?